Mídias Sociais

Polícia

Enel garante início da construção de subestação de energia em Casimiro de Abreu para o segundo semestre

Publicado

em

Prefeitura de Casimiro de Abreu amplia doação de terreno às margens da BR-101 para que a Enel, concessionária de energia elétrica do município, construa subestação de energia

A Prefeitura de Casimiro de Abreu anunciou nesta semana o resultado de seguidos encontros que vem realizando com a Enel, concessionária de energia elétrica no município, e alvo de constantes reclamações da população pelos problemas no serviço.

Segundo o governo municipal, a empresa garantiu que o início das obras para a construção da subestação de energia se dará no segundo semestre deste ano, e a proposta é que a subestação esteja em funcionamento no final de 2019.

A prefeitura informou ainda que, depois de estudos técnicos, a Enel apresentou a necessidade de aumentar a área do terreno, que antes era de 10 mil metros quadrados (m²), pedido que foi atendido pelo governo municipal.

“A prefeitura, então, atendeu a solicitação com base na lei nº 1.855, de 15 de março de 2018, que formaliza a doação da área num total de 15.538,26 m², às margens da BR-101”, detalhou a prefeitura.

O Executivo informou ainda que, de acordo com a concessionária, a subestação suprirá totalmente as necessidades de Casimiro de Abreu e ainda terá uma capacidade expansiva, com carga suficiente para atender futuras demandas.

A última reunião entre o governo municipal e representantes da Enel teria acontecido no início deste mês, no escritório da concessionária, em Niterói, onde estiveram o responsável por projetos de engenharia de alta tensão, Carlos Alberto Silva Flores; o Secretário de Fazenda de Casimiro, Matheus Sardenberg; e o Subsecretário de Obras, Habitação e Serviços Públicos, José Luiz Machado.

A prefeitura reconheceu ainda a importância da Câmara Municipal de Casimiro nas negociações para a expansão do terreno, lembrando que a lei que determina a doação à concessionária de energia elétrica foi aprovada por unanimidade pelos vereadores.

Mais lidas do mês