Mídias Sociais

Polícia

Educação se manifesta sobre o caso do menino supostamente espancado por colegas em escola pública de Macaé

Avatar

Publicado

em

 

Aluno está internado no HPM. Caso está sendo está acompanhando de perto pelo prefeito Dr Aluizio, que tem feito visitas diárias ao hospital.

A Secretaria de Educação de Macaé se manifestou sobre o caso do aluno da rede municipal, Gustavo Novaes, de 8 anos, que internado em estado grave após um suposto espancamento promovido por colegas de classe na Escola Zelita Rocha de Azevedo, localizada no Parque Aeroporto.

Por meio de nota divulgada nesta quinta-feira (28), o secretário Guto Garcia, afirmou que o órgão está prestando assistência a menor através de visitas técnicas diárias e acompanhamento específico da equipe de Serviço Social, que atua na secretaria.

Segundo o secretário, desde que recebeu informações sobre o fato no dia 20 de dezembro às 16 h, a Secretaria Municipal de Educação iniciou a apuração do caso junto à direção da escola.

“Segundo registros, e relato do aluno, o fato teria ocorrido na quadra da escola, local em que o estudante teria recebido chutes de dois colegas (de 9 e 11 anos), possivelmente quando estava jogando bola.   No entanto, o estudante não reclamou com os professores e direção nem com a professora de Educação Física e nem com os pais. Ele participou da aula de Educação Física normalmente” , afirmou Guto.

Aluno pode ter sido espancado por colegas de classe na Escola Zelita Rocha de Azevedo, localizada no Parque Aeroporto.

De acordo com registros da escola, no dia 14 de dezembro, o aluno se queixou   durante a Cantata de Natal  que a perna estava doendo, mas  que iria passar logo. Já no dia 15, o referido estudante não compareceu à escola tendo reclamado em casa de dores na perna com a mãe.

“No dia 19, a mãe esteve na escola para notificar a situação do aluno, entregando uma declaração que ele estava internado. A direção da escola  registrou a situação no livro de ocorrências e  passou a tomar as providências necessárias. A professora de Educação Física confirmou que  não houve registro de nenhum conflito entre  alunos.  Mas, diante  da queixa sobre os chutes, a escola solicitou a presença dos país dos alunos, que possivelmente estariam envolvidos no conflito. De acordo com o relatório um dos alunos não estava presente na escola  no dia da suposta agressão.  A diretora da escola afirma que não houve espancamento dentro da unidade”, ressaltou o secretário.

Ainda de acordo com o documento, ao dar entrada no hospital, o menino confirmou que caiu na quadra da escola e recebeu chutes. A partir do relato, a médica do plantão avaliou que a criança apresentou um quadro de trombose.

Já a mãe do aluno pontuou que o menino não comentou nada em casa, por isso ela não comunicou o ocorrido à direção da escola, mas que o estudante se queixou de dor na perna, posterior febre e vermelhidão no dia 14. Ao levar o estudante na UPA da Barra ele foi transferido para internação no HPM. Ele está internado no CTI Pediátrico desde o último dia 18.

O quadro clínico do aluno foi agravado com uma infecção generalizada e pneumonia. O prefeito de Macaé, Dr Aluizio está acompanhando de perto o aluno, com visitas diárias.

Segundo Guto Garcia, a mãe do aluno, em reunião com o prefeito, secretário de Educação e diretora da escola, elogiou o atendimento da equipe médica. A Secretaria Municipal de Educação instaurou procedimento de sindicância para apurar os fatos.

 

Autor: Bertha Muniz

Mais lidas da semana