Mídias Sociais

Destaque

Durante visita à Macaé, secretário de Segurança e interventor do Estado afirma que violência é o reflexo da crise socioeconômica

Bertha Muniz

Publicado

em

 

Durante reunião com a imprensa no quartel da PM em Macaé, o General Richard Fernandez Nunes fez um diagnóstico das causas do crescimento da violência na região.

O secretário Segurança e interventor do Estado, general Richard Fernandez Nunes, visitou, nesta terça-feira (22), o batalhão de Polícia Militar e a delegacia de Macaé.  Essa é a primeira vez que a cidade recebe a o general Nunes após o início da intervenção federal. O encontro, segundo o secretário, faz parte de uma visita de rotina programada há cerca de 30 dias às cidades do interior do estado.

“ É necessário que a gente saia do gabinete para no terreno, em busca de encontrar soluções, conversar com as autoridades civis e militares, de modo que a gente possa e entender melhor a problemática de todas as regiões de nosso estado”, disse o general.

Pela manhã, o general Richard Nunes esteve na 6ª Região Integrada de Segurança Pública (Risp), e ainda passou pela134ª Delegacia Legal do Centro de Campos dos Goytacazes e pela sede do 8º Batalhão de Polícia Militar.

Durante reunião com a imprensa no quartel da PM em Macaé, o secretário fez um diagnóstico das causas do crescimento da violência na região, bem como as necessidades para o enfrentamento do problema. Segundo o general, o que acontece na região é o reflexo de toda uma situação socioeconômica enfrentada pelo estado.

“ É bom que as pessoas se lembrem que a intervenção federal na área da segurança pública, veio após estabelecido outro processo de intervenção que ocorreu na área econômico financeira do estado desde o ano passado, com a recuperação fiscal. Antes de termos qualquer problema na área de segurança publica, temos um problema na área de desenvolvimento social econômico também, que precisa ser corrigido com a participação de todos”, enfatizou.

O general, que também é um dos responsáveis pela intervenção no estado, destacou que é o poder público e a sociedade civil também possuem um importante papel na redução da criminalidade. “ A segurança pública é um dever do estado, mas é responsabilidade de todos estarmos envolvidos na solução do problema da violência. Juntos iremos sem dúvidas, atingir índices de segurança muito mais elevados dos que já viemos atingindo”, analisou.

Sobre o sucateamento das ferramentas de trabalho da Polícia Militar em Macaé, o general Richard Nunes, afirmou que um estudo está sendo analisado para a aquisição de novas viaturas para atender a toda região, mas ainda não há prazo para que isso aconteça. “ Ainda não temos previsão para a entrega de novas viaturas na região, pois terminamos agora o processo de montagem da equipe responsável pelas licitações e todo o processo de aquisição destes veículos”, pontuou.

Questionado sobre a possível atuação do efetivo de militares lotado no Forte Marechal Hermes, em Macaé, o secretário disse ainda que a intervenção não se caracteriza com a participação de tropas do Exército. “ Eventualmente elas podem participar, quando necessário para uma operação específica. Temos ali um pelotão que está em condições de atuar também nessas operações integradas´”, destacou o general Richard Nunes, pontuando que no momento é necessário fortalecer as instituições como as Polícias Civil e Militar, com políticas de estado permanentes. “ Pode haver a utilização das forças armadas em alguma ação que se planeje, mas isso não é a cara da intervenção, a intervenção é muito mais ampla do que isso", encerrou.

Mais lidas da semana