Mídias Sociais

Destaque

Dupla que tentou sequestrar dono de quiosque em São Pedro da Aldeia é presa pela Polícia Civil

Publicado

em

 

A Polícia Civil de São Pedro da Aldeia prendeu, na manhã desta terça-feira (1), dois homens, identificados como Rodrigo Oliveira Santos, o Cocão; e Wallace Alexandre da Cunha, o Boca. Eles são acusados de tentar sequestrar o dono de um quiosque aldeense em 2021. Contra a dupla, havia um mandado de prisão temporária em aberto, pelo crime de roubo, expedido pela 2º Vara Criminal de São Pedro da Aldeia. A prisão aconteceu no âmbito da Operação Dactilos, deflagrada com o objetivo de cumprir medidas cautelares, mandado de prisão temporária e busca e apreensão em desfavor de dois dos autores.

O crime aconteceu no final da noite do dia 29 de novembro do ano passado, quando os criminosos, oriundos do Complexo do Chapadão, no Rio de Janeiro, tentaram sequestrar e efetuar um roubo contra Paulinho Xodó, empresário conhecido em São Pedro da Aldeia, nas proximidades da Creche Municipal Tia Marcia, no bairro Poço Rico. Ele retornava do centro para o Sudoeste, quando percebeu que estava sendo perseguido por criminosos a bordo de um automóvel. Com medo de que o pior pudesse acontecer, ao ser ultrapassado, o empresário, que dirigia uma Toyota Hilux, avançou com o próprio veículo no carro dos bandidos. Ele perdeu o controle da direção e acabou colidindo no muro da creche. Com a batida, Paulinho chegou a se ferir levemente no braço.

Os elementos abandonaram o automóvel e, mais a frente, roubaram outro, na tentativa de despistar os policiais que foram acionados para a ocorrência. Dentro do veículo foram apreendidas fitas do tipo ‘silver tape’ e corda.

Segundo o delegado titular da 125ª Delegacia de Polícia (125ª DP), Milton Siqueira Junior, durante as investigações, foram identificados dois dos quatro autores do crime. Os elementos foram capturados na comunidade da Caixa D’água, em São João do Meriti, e “um dos carros utilizados na empreitada criminosa também foi apreendido na data de hoje”.

A operação teve apoio de equipes da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE) e as investigações continuam para identificar os outros possíveis autores e envolvidos no crime. De acordo com a Polícia Civil, um dos acusados já possui passagem criminal por tráfico de drogas.

Mais lidas da semana