Mídias Sociais

Destaque

Caso Jennifer: Polícia Civil prende acusados de matar e esquartejar jovem em Rio das Ostras 

Bertha Muniz

Publicado

em

 

Jennifer desapareceu em 2014, mas inquérito só foi aberto em 2017, quando uma testemunha revelou ter visto companheiro dela e o irmão dele, que é PM, sujos de sangue.

A Polícia Civil prendeu, na manhã desta quinta-feira (23), dois suspeitos de serem os responsáveis pela morte da jovem Jennifer Tifany Veiga Pires, moradora de Rio das Ostras, desaparecida há 5 anos. Contra Steve Jonathan Lopes Barbosa, ex-marido de Jennifer e Erik Johnson Lopes Barbosa, irmão dele (que é Policial Militar da UPP do Morro dos Macacos), havia mandados de prisão expedidos pelo crime de homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

Os dois foram capturados durante diligências na Rua Maranhão, no bairro Cidade Praiana. O inquérito do caso, que possui mais de mil páginas e mobilizou diversos setores da Polícia Civil, aponta que a jovem teria sido dopada, morta com um tiro na cabeça, esquartejada e teve os restos mortais jogados em um rio.

A família notou que algo poderia ter ocorrido com ela ao ver que o então companheiro postou foto nas redes sociais anunciando um novo relacionamento, em 2014. Mas o inquérito policial só foi aberto em 2017, depois que uma testemunha relatou ter visto o rapaz e o irmão dele com as blusas sujas de sangue, tendo um deles confessado que havia dado um sumiço na jovem, ainda segundo a polícia.

A polícia trabalha com a hipótese de que o crime foi cometido porque Jennifer pretendia colocar Steve na Justiça para pedir pensão e a guarda dos filhos que ela teve com o ex-marido. O delegado titular da 128° DP de Rio das Ostras, Ronaldo Andrade Cavalcanti, explicou que o relato de uma testemunha foi importante para desencadear o caso.

"Apreendi até arma na casa de um dos suspeitos. Os prendi para fazer as acareações necessárias e ouvir novamente a testemunha sem se sentir intimidada pelo fato de um dos suspeitos ser um policial", conta o delegado.

Ainda segundo a Polícia Civil, o PM vai ser levado para o Batalhão Prisional da Polícia Militar no Rio de Janeiro. Já o ex-companheiro da vítima vai ser encaminhado para um presídio de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense.

ENTENDA O CASO

Jennifer desapareceu no dia 5 de maio de 2014, e desde então seus pais buscavam incansavelmente por notícias da jovem.  Pelas ruas ainda é possível ver cartazes espalhados, e nas redes sociais a notícia de seu desaparecimento é de grande repercussão.

Moradora de Rio das Ostras há mais de dez anos, a mãe da desaparecida, Gláucia Pires explicou que sua filha sempre apresentou um comportamento normal e sempre foi muito amorosa com todos da família, sendo que sempre teve uma ligação especial com seu irmão mais novo, uma vez que praticamente o criou enquanto seus pais trabalhavam em um restaurante próprio.

A jovem saiu de casa após descobrir que estava grávida de seu primeiro namorado, que na época tinha 19 anos e também morava no mesmo bairro em que ela residia. Jennifer foi morar no bairro Cidade Praiana em Rio das Ostras, com o namorado e a família de seu parceiro, tempos depois teve dois filhos, mas desapareceu. Na época a família do companheiro de Tifany informou ao Conselho Tutelar que a jovem teria ido embora por vontade própria deixando para trás seus dois filhos de cinco e três anos de idade.

Os pais de Jennifer não se deram por convencidos com a versão, e iniciaram um trabalho incessante de buscas pela garota, e o caso acabou mobilizando toda a população de Rio das Ostras. Agora, com a prisão preventiva do ex-marido e do ex-cunhado de Jennifer, a expectativa é de que o caso seja finalmente solucionado e a guarda dos filhos da jovem seja concedida aos avós maternos.

Mais lidas do mês