Mídias Sociais

Polícia

Assassinos da cantora Loalwa Braz são condenados pela justiça

Avatar

Publicado

em

 

Três homens são acusados de ter matado a cantora em janeiro do ano passado, em Saquarema; Loalwa ficou conhecida pelo rit  " Chorando se foi ". 

Os três homens acusados da morte da cantora Loalwa Braz, do grupo Kaoma, foram condenados pela 1ª Vara de Saquarema. O crime aconteceu na cidade de Saquarema, em janeiro do ano passado.

De acordo com a decisão da justiça, Wallace de Paula Vieira foi condenado a 37 anos de prisão; Gabriel Ferreira dos Santos a 28 anos; e Lucas Silva de Lima, condenado a 22 anos. Todos em regime fechado. Os acusados foram levados para a Cadeia Pública José Frederico Marques, no Complexo Penitenciário de Gericinó, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Sobre o crime - O corpo de Loalwa Braz, de 63 anos, vocalista do Kaoma na década de 1990, foi encontrado em um carro incendiado no dia 19 de janeiro de 2017. As investigações seguem a linha de que os três homens acusados invadiram a pousada que pertencia a Loalwa, para roubar o imóvel.

O trio levou jóias, dinheiro, celular, cartão bancário, a imagem de uma santa, aparelhos de surdez e maquiagem. Em seguida, a colocaram no veículo e levaram para a Estrada da Barreira, em Bacaxá, distrito de Saquarema.  A justiça leva em consideração ainda o fato de que os acusados arrombaram a porta do quarto e agrediram a cantora intensamente com pauladas, golpes de faca, chutes, socos e enforcando-a, enquanto a vítima pedia socorro.

A cantora só foi enterrada em março de 2017, após a confirmação por meio de teste de DNA de que o corpo era mesmo de Loalwa. Ela foi levada da funerária em Bacaxá, distrito de Saquarema, para Serra, no Espírito Santo. Na época, a família reclamou da burocracia para a liberação do corpo.

Da Redação

Mais lidas da semana