Mídias Sociais

Polícia

Assassinato de italiano em Búzios foi motivado por dívida com prostitutas, diz polícia

Avatar

Publicado

em

 

 

Massimiliano Bottoni, de 54 anos, foi morto a golpes de facão por uma amigo brasileiro. Segundo a PM, corpo estava coberto com um lençol e um saco plástico na cabeça.

 

Bertha Muniz

 

Um italiano de 54 anos foi brutalmente assassinado a golpes de machado, na tarde de quinta-feira (17), em Armação dos Búzios, na Região dos Lagos. De acordo com a Polícia Civil, ele foi morto a facadas por um brasileiro, identificado como Paulo Giovani Carvalho de Oliveira, vulgo "Sapulha", de 36 anos. Paulo era amigo da vítima e havia organizado uma festa em uma residência no bairro Geribá, na madrugada do mesmo dia.

Eles teriam se desentendido por conta do pagamento de prostitutas que participavam do evento, segundo a Polícia Civil. Uma mulher foi presa em flagrante junto com Paulo Giovani. Amanda Cabral de Vasconcelos era proprietária do imóvel onde a festa aconteceu. Ainda de acordo com a Polícia Civil, os participantes do evento teriam consumido drogas no local.

O corpo do italiano foi encontrado pela Polícia Militar e pelo Corpo de Bombeiros, após denúncias anônimas. Ele estava na área de serviço da casa, ao lado de um machado, coberto com um lençol e um saco plástico na cabeça. Segundo a polícia, o portão da casa estava aberto e havia um rastro de sangue pelo caminho. Logo após constatar o crime, a PM realizou em cerco em buscas dos criminosos. Contra Paulo Giovani havia dois mandados de prisão em aberto, porém a Polícia Civil não divulgou por quais crimes foram expedidos. Em depoimento, Paulo confessou e que pretendia esconder o corpo do turista utilizando um machado.

Ele e Amanda foram levados para o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, no Rio. O corpo do italiano foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Araruama.

Mais lidas da semana