Mídias Sociais

Esporte

Técnico campeão da Champions League entra na mira do Flamengo

Sérgio Barcellos

Publicado

em

 

O Flamengo segue trabalhando nos bastidores em busca de um substituto para o lugar de Abel Braga. O presidente Rodolfo Landim está na Europa para assistir à final da Liga dos Campeões deste sábado (1º) entre Liverpool e Totteham. A viagem não é só entretenimento. O dirigente está lá para tentar uma conversa com o técnico José Mourinho, bicampeão da Champions League, o maior torneio de futebol de clubes do mundo. A informação foi publicada na coluna do jornalista Gilmar Ferreira, no Jornal Extra.

Landim deseja um técnico de renome internacional para comandar a equipe. O nome de Mourinho surgiu por indicação do ex-goleiro Júlio César, que trabalhou com o português na Internazionale entre 2008 e 2010. Os dois vieram a conquistar a Champions League juntos, na temporada 2009/2010. Recentemente, os dois participaram de uma transmissão pelo Canal Dazn da partida entre River Plate, do Uruguai, e Santos pela Copa Sul-Americana. Na ocasião, Mourinho não descartou a possibilidade de trabalhar em um clube brasileiro, fato que chamou a atenção de Júlio César.

Landim está acompanhado do empresário Giuliano Bertolluci, uma figura de peso no mercado internacional. Bertolluci ficou de fazer os primeiros contatos com o agente Jorge Mendes, que é o responsável por cuidar da carreira de Mourinho. O objetivo no momento é conseguir uma reunião com o treinador para saber as condições do negócio. Neste momento, não existe proposta ou negociação em curso, é importante frisar. Apesar das conversas com Jorge Jesus, rumores dizem que a negociação surge apenas como uma cortina de fumaça para desviar o foco da imprensa.

Corre nos bastidores também a informação de que o Flamengo já teria procurado Jorge Sampaoli, hoje no Santos. O treinador teria respondido que não tem interesse em deixar o Peixe, algo que caiu como um balde de água fria para a diretoria carioca. Desejo antigo do clube, Renato Gaúcho é outro que segue em pauta, mas por ora o acordo é visto como distante.

Foto: Alexandre Vidal

Mais lidas da semana