Mídias Sociais

Esporte

Diniz comenta a épica e "inexplicável" vitória do Fluminense sobre o Grêmio em Porto Alegre

Sérgio Barcellos

Publicado

em

 

Épica. Assim pode ser definida a primeira vitória do Fluminense no Campeonato Brasileiro. Na base da raça e da superação, o Tricolor das Laranjeiras conseguiu uma improvável virada na Arena Grêmio. O time comandado por Fernando Diniz chegou a estar perdendo por 3 a 0, mas no fim, fechou o placar com um 5 a 4 pra lá de atípico no futebol brasileiro atual.
Tanto Fernando Diniz quanto Renato Gaúcho possuem uma linha de trabalho semelhante, que privilegia o futebol ofensivo. Ambos vão na contramão da grande maioria dos treinadores e do futebol brasileiro atual, que preza por umfutebol de menos riscos, mais defensivo e sem se expor, o que nos proporsiona jogos de pouquíssimas emoções e, menos ainda, gols. Não atoa o encontro de duas equipes com mentalidades ofensivas, resultou em uma partida recheada de bolas na rede.
O Fluminense não se encontrou na primeira etapa e viu o Grêmio abriu 3 a 0 diante de sua torcida. Na contramão dos treinadores atuais, que fechariam a casinha para evitar "um estrago maior", Diniz arriscou. E acabou sendo recompensado no fim. Na coletiva de imprensa pós-jogo, o treinador admitiu ter errado na escalação da equipe, que entrou com três volantes (Airton, Bruno Silva e Alan). No intervalo, Diniz promoveu a entrada de Daniel. O Fluminense cresceu e conquistou a virada.
"Isso mostra que o time é persistente. O Fluminense sabe lutar e acredita nas ideias que estão sendo propostas. Tivemos uma derrota para o Santos difícil, a gente fazia bom jogo até sofrer os gols. A gente está amadurecendo o time. São jogadores muito valentes, então, é possível fazer grande jogos como o de hoje", disse Diniz.
Na coletiva de imprensa, Renato Gaúcho chegou a declarar que não tinha como explicar a derrota do Grêmio. A declaração acabou sendo rebatida por Diniz.
"Futebol é um jogo, que tem muitas alternativas. Algumas delas, a gente controla. Até o primeiro gol, o jogo estava equilibrado. Quando o Grêmio fez 3 a 0, o jogo ficou à mercê deles. Se a gente não mudasse, a gente ia acabar tomando mais gols. A gente teve coragem e persistência para jogar. O nosso primeiro gol teve a nossa cara. No segundo tempo, tem todas as explicações possíveis. O Fluminense foi soberano, soube pressionar a saída de bola, soube pegar as segundas bolas e a gente tomou conta do jogo", encerrou Diniz.

Foto: Lucas Merçon

Mais lidas do mês