Mídias Sociais

Esporte

Clima entre Fluminense e Ferj esquenta de vez nos bastidores

Sérgio Barcellos

Publicado

em

 

Não é de hoje que o clima entre o Fluminense e a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) anda estranho. Nesta semana, o presidente tricolor, Mário Bittencourt, deixou um grupo de Whatsapp com o presidente da Ferj, Rubens Lopes. O fato evidenciou o clima de tensão entre as partes, motivado para posição distinta de ambos sobre o retorno do Campeonato Carioca.

O Fluminense é desde o início da pandemia um dos clubes que se posicionaram contra o retorno do futebol. Em um momento onde as equipes que disputam a Série A do Carioca se reuniram para pedir o retorno da competição, o Tricolor das Laranjeiras manteve sua postura contrária a realização dos jogos, assim como o Botafogo. A postura parece ter irritado Rubens Lopes.
D

e acordo com o repórter Victor Lessa, da Rádio Globo, o presidente do Fluminense optou por deixar o grupo de Whatsapp por conta de ironias e até mesmo ameaças de Rubens Lopes. Uma delas seria declarar W.O nas partidas de Fluminense e Botafogo no Carioca e ainda rebaixar as equipes para a Série B do Estadual caso mantivessem a postura de não jogar a competição.

O Fluminense mantém se posicionando de forma contrária a realização dos jogos por conta da curva ascendente de casos do coronavírus no Rio de Janeiro. O clube entende que para voltar a jogar, terá que ter a liberação das autoridades de saúde, algo que ainda não aconteceu. Mário já chegou a se pronunciar de forma oficial sobre o assunto algumas vezes, onde deixou claro que o Flu não mudará de ideia enquanto o cenário atual da covid-19 no Rio não mudar. Em contrapartida, parte dos clubes e a Ferj fazem pressão para retomar a competição, o que acabou por gerar tamanho desgaste nos bastidores.

Foto: Lucas Merçon

Mais lidas da semana