Mídias Sociais

Economia

Gasolina deve aumentar com alta de impostos propostos pelo governo federal

Avatar

Publicado

em

 

Medida deve ser anunciada hoje (20) pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles

Bertha Muniz

 

A gasolina deve ficar ainda mais cara nos próximos dias. Isso porque o governo deverá anunciar nesta quinta-feira (20) o aumento de impostos sobre o combustível ainda hoje, com o objetivo de melhorar as receitas e assegurar o cumprimento da meta fiscal de 2017.

Apesar de a arrecadação crescer 0,77% no primeiro semestre, não é suficiente para resolver o problema fiscal do país, que tem um rombo de aproximadamente R$ 10 bilhões para cobrir somente neste ano.

Segundo fontes da Agência Reuters, a Receita Federal ainda calcula os impactos dos aumentos, que já teriam sido aprovados pela equipe econômica comandada pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. A notícia deverá ser divulgada junto com do relatório de receitas e despesas do governo para o bimestre, prevista para hoje.

A alíquota do PIS/Cofins sobre a gasolina também deve ser elevada, bem como a do Imposto de Importação sobre o combustível, segundo outra fonte com conhecimento sobre o assunto, que afirmou ainda a possibilidade de o governo elevar a alíquota do II sobre a gasolina, que não precisa cumprir uma noventena para começar a valer.

O aumento da arrecadação com a medida seria imediato, ajudando nas contas públicas. Segundo a Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, a alíquota hoje do II sobre gasolina é zero.

Aumentar impostos da gasolina, além de ajudar com mais receitas, poderá agradar os produtores de etanol, que vêm sofrendo com os preços baixos do combustível. A atual política de preços da Petrobras também ajuda neste cenário, com sucessivas reduções de preços dos combustíveis diante do cenário de preços internacionais mais baixos do petróleo.

Em um período de sucessivas reduções de preços dos combustíveis diante do cenário de preços internacionais mais baixos do petróleo, a atual política de preços da Petrobras também ajuda neste cenário.

Mais lidas da semana