Mídias Sociais

Destaque

Super feriado: Confira o que funciona no setor da Saúde em Macaé até 4 de abril

Bertha Muniz

Publicado

em

 

O estado do Rio de Janeiro terá um "super feriado" de dez dias entre sexta-feira (26) e 4 de abril, domingo de Páscoa, com o objetivo de frear o avanço do novo coronavírus. Em Macaé, apenas serviços essenciais estão autorizados a funcionar. Ao final do período, as restrições serão reavaliadas.

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Saúde informou que estarão fechados os atendimentos eletivos, clínico ou cirúrgico, nas redes pública municipal e privada de Saúde, no período de 10 dias, desta sexta-feira (26) até ao domingo de Páscoa (4 de abril). As medidas orientando a população sobre a suspensão desses serviços constam da Resolução 003/2021, publicada no Diário Oficial do Município disponível, de forma online, no Portal da prefeitura.

Estão mantidos os atendimentos, conforme a seguir: na rede pública municipal funcionarão os dispositivos e os servidores que atuam, direta ou indiretamente, na campanha de vacinação contra o coronavírus; e o Hemocentro também estará aberto, de segunda a sexta, das 7h30 às 11h. As unidades de urgência e emergência funcionarão 24 horas nas redes pública e privada, valendo também para atendimentos odontológicos e clínicas de hemodiálise. As gestantes de alto risco deverão se dirigir a maternidade do Hospital Público de Macaé.

As Farmácias Municipais do Centro Integrado de Administração da Saúde (CIAS) e do Centro de Especialidades Dona Alba funcionarão na segunda, terça e quarta -feira (29, 30 e 31).

Além disso, a rede privada estará funcionando para consultas obstétricas, das 7h às 14h; atendimentos e procedimentos oncológicos, de 8h às 16h; exames radiológicos (radiografias, tomografias e ressonâncias) das 7h às 17h; e laboratórios de análises clínicas, das 7h às 15h.
O comunicado foi divulgado pela secretária municipal de Saúde, Liciane Furtado Cardoso, e tem como objetivo que a atenção integral do município, neste momento, seja voltada para atendimentos aos pacientes vítimas do coronavírus, tanto na rede municipal quanto na privada, uma vez que nos casos eletivos o paciente pode aguardar o atendimento ou a cirurgia.

Mais lidas da semana