Mídias Sociais

Covid-19

Prefeita de Carapebus decreta fechamento de comércio, após primeiro caso confirmado de Covid-19 na cidade

Publicado

em

 

A prefeitura de Carapebus divulgou um novo decreto o de 2529, que entrou em vigor nesta sexta-feira (17), onde novamente determina o fechamento do comércio local, exceto os essenciais, devido ao primeiro caso confirmado na cidade. O decreto vai até 30 de abril, podendo ser prorrogado. Na mesma data, a prefeitura também publicou o decreto que estabelece Estado de Calamidade Pública no município.

A prefeita Christiane Cordeiro, havia flexionado a reabertura do comércio, seguindo orientação do decreto do governador Wilson Witzel, que permitia o funcionamento do comércio em 30 cidades no interior do Estado que ainda não tivesse nenhum caso confirmado de Covid-19. Porém, no mesmo decreto, o governo ressaltava que quando surgisse a primeira pessoa contaminada, medidas de prevenção deveriam ser implantadas com mais rigor, incluindo o retorno do fechamento do comércio local.

O decreto além de restringir a circulação de pessoas no município, fortalecendo as barreiras atuando 24 horas nas entradas da cidade, estabelece também a exigência do uso da mascara como forma de prevenção a disseminação da COVID-19 para todas as pessoas que circulem nos espaços públicos do município, bem como nos estabelecimentos comerciais e transportes públicos.

O primeiro caso é de um profissional da saúde e morador do bairro de Ubás, que também trabalha em Macaé. O paciente é assintomático e está em isolamento domiciliar junto com sua família que está sendo monitorada pela secretaria de Saúde. O segundo caso também confirmado na cidade é de morador de Quissamã, porém é profissional da saúde em Carapebus. Este paciente será contabilizado por Quissamã.

O secretário de Saúde, Leonardo Sarmento, disse que o pronto atendimento está equipado e os profissionais são preparados para atender a população, porém o sistema não suporta atender a todos. “Nós estamos preparados, mas pedimos o apoio da população e do comércio local porque o vírus não tem cara e muitas pessoas não apresentam sintomas. Precisamos que esse vírus passe por Carapebus de forma mais branda possível, por isso vamos respeitar a distância mínima e o isolamento domiciliar”, frisou Leonardo.

Mais lidas da semana