Mídias Sociais

Cultura

Teatro Sesi Macaé apresenta show "Mano Que Zuera", do cantor João Bosco, dia 19 de setembro

Daniela Bairros

Publicado

em

 

Daniela Bairros

O compositor e violonista João Bosco apresenta, dia 19 de setembro, a partir das 20h, o show "Mano Que Zuera", no Teatro Sesi Macaé. Os ingressos estão sendo vendidos na bilheteria do teatro a R$ 34 (inteira) e R$ 17 (meia).

João Bosco de Freitas Mucci, mais conhecido como João Bosco, é cantor, violonista e compositor.
Filho de pai libanês, João Bosco começou a tocar violão aos 12 anos de idade, incentivado por uma família formada por músicos. As primeiras influências foram Ângela Maria, Cauby Peixoto, Elvis Presley e Little Richard, que integrou a banda X-Gare.

Alguns anos depois, iniciou na Escola de Minas, em Ouro Preto, cursando Engenharia Civil. Apesar de não deixar de lado os estudos, dedicava-se sobremaneira à carreira musical, influenciado principalmente por gêneros como jazz e bossa nova e pelo tropicalismo. Foi em Ouro Preto, em 1967, na casa do pintor Carlos Scliar, que conheceu Vinícius de Moraes, com o qual compôs as seguintes canções: rosa-dos-ventos, Samba do Pouso e O mergulhador - dentre outras.

Em 1970 conheceu aquele que viria a ser o mais frequente parceiro, com quem compôs mais de uma centena de canções: Aldir Blanc, O Mestre Sala dos Mares, O Bêbado e a Equilibrista, Bala com Bala, Kid Cavaquinho, Caça à Raposa, Falso Brilhante, O Rancho da Goiabada, De Frente pro Crime, Fantasia, Bodas de Prata, Latin Lover, O Ronco da Cuíca, Corsário, dentre muitas outras.

A primeira gravação saiu no disco de bolso do jornal O Pasquim: Agnus Sei, em 1972. No ano seguinte, assinou contrato com a gravadora RCA, lançando o primeiro disco, que levava apenas o seu nome.

Em 1972 conheceu Elis Regina, que gravou uma parceria sua com Blanc: Bala com Bala; a carreira deslanchou depois da interpretação da cantora para o bolero Dois pra lá, Dois pra cá.

Sobre o álbum "Mano Que Zuera"
Depois de oito anos sem lançar nenhum trabalho inédito, João Bosco trouxe ao público "Mano Que Zuera", um álbum composto por 11 canções, entre elas algumas parcerias inéditas com o filho Chico Bosco, que também assina a produção musical do álbum. Dessas parcerias o single "Onde Estiver", que nasceu de conversar entre pai e filho, merece destaque pela força poética e arranjo primoroso.

Além das inúmeras parcerias com o filho, o projeto contou ainda com clássicos como ‘Sinhá’ (parceria com Chico Buarque), ‘Duro na Queda’ e ‘João do Pulo’ (Parcerias com Aldir Blanc), esta última contando com uma fusão sonora com a canção ‘Clube da Esquina No 2’, e o encontro inédito com a composição de Arnaldo Antunes em ‘Ultraleve’, onde a filha Júlia Bosco faz uma participação mais que especial com sua voz doce e potente.

Crédito: Divulgação

Mais lidas da semana