Mídias Sociais

Cultura

Teatro Sesi Macaé apresenta nesta sexta-feira (10) musical “Lá dentro tem coisa”

Daniela Bairros

Publicado

em

 

Musical infanto-juvenil será às 16h. Os ingressos estão sendo vendidos a R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia)

 

Daniela Bairros

O Teatro Sesi Macaé apresenta nesta sexta-feira (10), o musical “Lá dentro tem coisa”. O espetáculo será às 16h e os ingressos estão sendo vendidos a R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia).

Baseado na obra “Partimpim”, da cantora Adriana Calcanhotto, o musical infantojuvenil narra a história da menina Isabel, que ganha dos pais a permissão para sair sozinha pela primeira vez. Ela escolhe ir até a livraria, não muito longe de casa. No caminho, enfrenta o medo e precisa conhecer a coragem e descobrir sensações e sentimentos diversos, bons e ruins, como raiva, mágoa, ansiedade, tristeza, expectativa, insegurança, incerteza, amor, desejo e gratidão.

O musical

De um lado, o medo do desconhecido. Do outro, a coragem de buscar o novo. Eis o dilema que a menina Isabel enfrenta no dia do seu aniversário de 9 anos, quando sai de casa sozinha pela primeira vez. Esse é ponto de partida do musical infantojuvenil “Lá Dentro Tem Coisa”, baseado na obra “Partimpim” – coleção de canções para crianças lançada pela cantora e compositora Adriana Calcanhotto, em 2004, vencedora do Grammy Latino de “Melhor CD Infantil”. Com texto de Adriana Falcão, Rafael Gomes e Vinicius Calderoni, direção de Renato Linhares e direção de arte do artista plástico Vik Muniz, a peça faz circulação nos Teatros do SESI Rio de Janeiro.

Idealizado pelo ator e empreendedor cultural Felipe Lima, “Lá Dentro Tem  Coisa” surgiu da vontade de criar uma peça inspirada no universo de “Partimpim”. A primeira troca de ideias ocorreu após uma apresentação de “Mas Por Quê??! – A História de Elvis”, espetáculo infantojuvenil também produzido por Felipe, que Adriana Calcanhotto havia ido assistir. “Adoro o trabalho dela. Conversamos ali mesmo, depois da peça, e falei que queria fazer um trabalho em que o ponto de partida fosse o ‘Partimpim’. Comentei sobre a minha vontade de ter a Adriana Falcão como autora, e assim começamos”, diz Felipe, que trouxe para o projeto os dramaturgos Rafael Gomes e Vinicius Calderoni, os mesmos de “Mas Por Quê??! – A História de Elvis”.

Para escrever o argumento de “Lá Dentro Tem Coisa”, a roteirista e escritora Adriana Falcão (que assina a dramaturgia ao lado de Rafael Gomes e Vinicius Calderoni) teve como pontapé inicial um sentimento que crianças e adultos experimentam com frequência: o medo do desconhecido. “Pensei nesse sentimento que todos nós nos identificamos, quando estamos em algum momento sozinhos, diante de um problema, e fazemos daquilo um monstro dentro da nossa cabeça”, disse a autora, que se inspirou nas músicas do disco, mas sem se ater a uma canção específica para criar a história.

Em cena, o elenco formado por Aline Deluna (Bel), Daniela Fontan (Mãe), Leo Bahia (Medo), Lu Vieira (Isa), Thais Belchior (Coragem) e Thiago Marinho (Pai) canta ao vivo nove músicas, sendo oito do disco “Adriana Partimpim” (2004). Com direção musical de Felipe Habib, as canções ganharam novos arranjos e foram encadeadas de maneira lúdica como condutoras da história. São elas: “Lição de Baião”, “Oito Anos”, “Ciranda da Bailarina”, “Ser de Sagitário”, “Borboleta”, “Formiga Bossa Nova”, “Fico Assim Sem Você” e “Saiba”. A trilha também traz “Poeta Aprendiz”, de Vinicius de Moraes e Toquinho, gravada por Calcanhotto no livro-disco homônimo.

A cenografia de Bia Junqueira retrata um espaço abstrato e onírico, com nuvens grandes suspensas a alturas variadas sobre o palco. Feitas de materiais como tela, arame, papelão e papel laminado, as nuvens criam caminhos que a menina Isabel percorre de casa até a livraria. “A ideia é evocar diferentes sentimentos e sensações. Não tem nada concreto. É como se fosse um espaço interno da menina”, explica Bia.

Os tons de branco e prata do cenário são coloridos com a luz de Tómas Ribas e os figurinos de Thanara Schönardie. As roupas não são situadas num tempo e espaço e sugerem texturas sólidas e fluidas. “Os figurinos coloridos das meninas representam a liberdade da infância e o duplo, o reflexo uma da outra. Já os personagens que são sentimentos, Medo e Coragem, não têm uma forma definida, um contorno”, explicou  Thanara.

“Lá Dentro Tem Coisa” estreou em setembro de 2017, no Teatro dos Quatro, no Rio de Janeiro e realizou segunda temporada em agosto de 2018 com sucesso de público e crítica no Teatro Folha, em São Paulo e retornou ao Rio de Janeiro para mais uma temporada no Teatro das Artes em novembro de 2018.

Crédito: Leo Aversa

 


 

Mais lidas do mês