Mídias Sociais

Cultura

Teatro Popular de Rio das Ostras apresenta neste sábado (14) e domingo (15) espetáculo infantil A Lenda do Cavaleiro Negro

Daniela Bairros

Publicado

em

 

Daniela Bairros

 

O Teatro Popular de Rio das Ostras apresenta neste sábado (14), às 20h, e domingo (15), no mesmo horário, o espetáculo infantil A Lenda do Cavaleiro Negro.  Os ingressos estão sendo vendidos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia ou antecipado) e podem ser comprados na bilheteria do teatro.

A Lenda do Cavaleiro Negro conta a história de uma espevitada princesa, Kali, e de um cavaleiro de um reino vizinho, Luther, que se veem lutando contra os destinos que lhes foram impostos pelas antigas leis de sua sociedade, enquanto buscam seus lugares no mundo. E quando Kali se torna vítima de uma maldição familiar, Luther acaba envolvido no meio da confusão.

Firmes em suas convicções de que seus destinos não estão escritos em lugar algum, eles vão enfrentar as leis antiquadas de sua sociedade, pretendentes mal educados, e até uma bruxa, em um final surpreendente, para provar a todos, de todos os reinos, inclusive o nosso, que apenas a eles cabe decidir seus destinos.

Nos moldes das animações mais recentes do cinema, cuja proposta é divertir crianças dos 6 aos 90 anos, A Lenda do Cavaleiro Negro é um espetáculo infantil que, de maneira lúdica e sutil, quebra paradigmas clássicos dos contos de fadas para trazer uma reflexão sobre a sociedade desigual e preconceituosa em que vivemos, pensando em uma sociedade em que haja igualdade racial e equidade de gênero, pois não importa a cor, seja da pele ou das roupas, nem a posição social de cada um, o que importa é a verdade do coração.

Dirigida por Tunan Teixeira, a Lenda do Cavaleiro Negro, da Cia Labirinto de Pesquisa Teatral, tem no elenco: Anael Amorim, Brenda Antunes, Caio Rangel, Eduardo Alves, Ias Mariano, José Fiuzas, Letícia D’augustin, William Lopes, Luma Santos, Maitê Bersot, Rafael Martins, Thay Dias e Vanessa D. Morais.

Sobre o espetáculo

Nascida em Rio das Ostras em janeiro de 2017, a Cia Labirinto de Pesquisa Teatral estreou nos palcos da cidade em 30 de março daquele ano e três anos depois, volta ao Teatro Popular de Rio das Ostras com o espetáculo infantil, A Lenda do Cavaleiro Negro, que promete divertir crianças e jovens de todas as idades.

Formada em sua maioria por alunos e ex-alunos do curso técnico de teatro do Centro de Formação Artística em Música, Dança e Teatro, a popular Onda, a Cia Labirinto nasceu com o objetivo de “não apenas levar as pessoas ao teatro, mas principalmente levar o teatro às pessoas”, colaborando assim com o movimento teatral do município, que estava em ebulição naquele momento, e que parece ter se estagnado desde então.

Neste espetáculo de estreia, em duas apresentações, a Cia Labirinto traz de volta um texto que encantou crianças de todas as idades em suas cinco apresentações em 2017, marcando o retorno do grupo aos palcos depois de três anos de ausência.

Para o diretor da Cia Labirinto, Tunan Teixeira, o tempo longe dos palcos foi bom para o amadurecimento do grupo, que passou por muitas transformações, e serviu para fazer uso de outra parte do nome da companhia, a “pesquisa”.

“Realmente acabamos ficando longe dos palcos e até do cenário teatral local, mas foi um período necessário para o crescimento da Cia, de amadurecimento, um tempo de solidificar conceitos e objetivos. Acho que era algo importante para uma Cia que nasceu naquele furor estudantil, quando não pensávamos tanto sobre detalhes, queríamos ir para a cena a qualquer custo. Claro que deu saudade, e espero que a gente possa matar essa saudade e que as pessoas gostem do que vão ver”, disse ele.

Membro da Cia desde sua criação quando ainda estava no início de sua caminhada no curso de artes dramáticas da Onda, o ator Rafael Martins, agora formando, conta que, apesar de o elenco continuar tendo integrantes jovens e estudantes, o processo tem sido produtivo e importante para a criação da peça.

“O processo de montagem da peça está sendo um momento de descoberta para todos. Posso dizer que ela nos fez criar uma percepção maior e melhor do nosso trabalho de ator, nos fazendo pensar, criar, agir e trabalhar em cima do que investigamos a cada ensaio da peça. A forma que a peça conectou os atores é algo admirável, criamos relações fortes de trabalho em pouco tempo, e todos estamos ajudando uns aos outros sempre que necessário. Eu particularmente fico muito grato em fazer parte desse projeto lindo que é A Lenda do Cavaleiro Negro. Com isso estamos em constante evolução dentro do nosso propósito de difundir o que queremos falar com essa peça”, avaliou Rafael, que volta ao seu papel depois de 3 anos.

Duas das jovens atrizes ainda em formação que fazem parte do elenco de A Lenda do Cavaleiro Negro, Brenda Antunes e Ias Mariano, concordam com Rafael ao explicar como tem sido o processo de recriação do espetáculo.

“Participar de A Lenda do Cavaleiro Negro tem sido uma descoberta diária; nunca tinha trabalhado com espetáculo infantil e a atmosfera por trás é incrível. Você constrói, reconstrói, se joga, acaba fazendo até o que não esperava. É realmente um mundo de fantasias não tão distante do nosso mundo de fantasias”, comentou Brenda.

Apesar das mudanças de elenco e alguns “retoques cênicos”, como contou o diretor, que assim como parte do grupo, também se formou na Onda, o objetivo da peça ainda é conversar com as crianças de todas as idades sobre temas importantes para a sociedade.

“Além do fato da peça ter mensagens muito importantes para serem transmitidas, as mesmas possuem um foco maior no público infantil. As crianças se encontram muito sujeitas a viverem os mais variados tipos de preconceitos e poder dizer algo que vá de alguma forma agregar algo positivo para elas, torna tudo isso ainda mais importante”.

Para Rafael, a peça vai ainda mais além das crianças, pois tem a possibilidade de fazer também com os adultos possam refletir sobre questões como o pertencimento, assim como se reconhecerem na peça.

“Representatividade é o ponto chave desta peça. A forma que A Lenda do Cavaleiro Negro apresenta os personagens é incrível, ela desmistifica padrões que foram construídos a muito tempo de uma  forma única. Apesar de ser uma peça infantil, ela aborda questões sérias, e a forma com que a peça nos apresenta essas questões faz com que a mensagem chegue tanto para as crianças quanto para os adultos. A importância de levar isso para o público infantil é vital e gratificante”, comemora ele.

É o que pensa o diretor, que diz ter se inspirado muito nas animações do cinema dos últimos anos, como as feitas pelos estúdios Pixar, Disney e Dream Works para desenvolver a linguagem da peça, e que, por isso, acredita que A Lenda do Cavaleiro Negra seja um espetáculo para todas as crianças, dos 6 aos 80 anos.

Sobre a Cia Labirinto

Criada em janeiro de 2017, e formada por alunos e ex-alunos de teatro de Rio das Ostras, a Cia Labirinto de Pesquisa Teatral estreou nos palcos da cidade em março daquele ano e desde então, vem se dedicando ao estudo e desenvolvimento de sua própria linguagem teatral, sempre acreditando na colaboração com o desenvolvimento do cenário teatral local e regional.

Com essa reapresentação de A Lenda do Cavaleiro, originalmente elaborado para a rua e adaptado para os palcos, a Cia Labirinto espera voltar aos palcos com uma proposta cênica mais madura, para que assim essa história finalmente atinja seu objetivo que é a rua, espalhando essa reflexão tão em voga no nosso tempo.

Crédito: Divulgação

Mais lidas da semana