Mídias Sociais

Cultura

Músicos de Rio das Ostras apresentam, em abril, “Janela Lateral 2” no Teatro Popular

Daniela Bairros

Publicado

em

 

Bruno Pirozi, Rodrigo Pontes e Maurício Líbardi Jr vão apresentar novo repertório de músicos mineiros. 

Daniela Bairros

Os músicos Bruno Pirozi, Rodrigo Pontes e o pianista Maurício Libardi Jr, apresentam no dia 11 de abril, no Teatro  Popular de Rio das Ostras, o show “Janela Lateral 2”, inspirados no “Clube da Esquina”.

A apresentação será às 20h. Os ingressos estão sendo vendidos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

 Sobre o “Clube da Esquina”

Formado principalmente por músicos mineiros, entre esses Milton Nascimento, Lô Borges, Toninho Horta, Beto Guedes, Marcio Borges, Túlio Mourão, Fernando Brant, Ronaldo Bastos e Wagner Tiso, o movimento Clube da Esquina contribuiu para enriquecer o cancioneiro brasileiro. São algumas dessas composições que, numa roupagem nova, procurando manter a atmosfera e a essência original, serão apresentadas no show dos três amigos.

Segundo Bruno Pirozi, os amigos escolheram o Lado B, que nos tempos do vinil, geralmente reunia as músicas menos conhecidas, mas cheias de qualidade poética e musical e agora estão produzindo novos arranjos, que vão surpreender o público. Será um show, de acordo com Pirozi, que com certeza vai atrair quem foi no primeiro, pois terá muitas novidades.

Durante o show, o trio de Rio das Ostras fará um breve sarau declamando versos das composições do primeiro show como “Caçador de Mim” e “O trem azul”.

No piano, Mauricio Libardi comanda os novos arranjos das composições e contribui para a produção musical e vocal do show. Entre as canções do novo repertório estão “Bola de Meia, Bola de Gude”, “Paula e Bebeto” “Equatorial” e “Nuvem Cigana”.

Mais uma vez o público vai se surpreender com os arranjos vocais e a interação entre voz e piano. O espetáculo ainda terá intervenções poéticas com pequenos trechos músicas do Clube da Esquina.

Sobre o projeto

Quando Lô Borges e Fernando Brant escreveram “Paisagem na Janela”, o que haveriam visto na “lateral do quarto de dormir”? Uma igreja, um lugar de glória? Um muro branco e um voo pássaro? Uma grade e um velho sinal? Afinal, quando mais de uma pessoa olha a mesma imagem na janela, será que todas enxergam da mesma forma? E uma música consegue transportar igualmente várias pessoas para o mesmo lugar?

Bruno Pirozi contou que antes de propor o projeto, mergulhou no universo do Clube da Esquina. “Assistimos documentários, estudamos como os discos foram produzidos e acabamos montado um repertório que falasse destes músicos de uma forma mais abrangente, não somente o que tocou no Clube, mas o que foi produzido posteriormente. Janela Lateral é um projeto pensado nos detalhes”.

Assim como no primeiro show, Rodrigo Pontes, que também é artista plástico, assina a concepção cenográfica. “Gosto da beleza, de levar o belo a quem me assiste, é um compromisso que tenho com o público para que ele saia mergulhado no universo do Clube da Esquina”, explica Rodrigo.

Crédito: Alexandre Araújo

 

 

 

 

 

Mais lidas do mês