Mídias Sociais

Cultura

Marcelo Marrom e Kynnie Williams são algumas das presenças confirmadas para 5ª Edição do Festim – Festival de Esquetes de Macaé

Publicado

em

 

Começa na próxima segunda-feira, dia 17, a edição do 5º Festival de Esquetes de Macaé - Artes Integradas. O evento, que será realizado pelas plataformas do instagram (@festim_festival), pelo canal do youtube (Festim Festival) e pelo Facebook (Festim Festival de Esquetes de Macaé), vai até o dia 30 deste mês. Segundo o produtor e idealizador do festival, Aldebaran Bastos, serão 15 dias de programação cultural e gratuita à toda população. “O festival terá mostra competitiva de teatro, com participação de convidados especiais. Estamos, neste ano, com uma programação muito rica. Já temos a programação da semana e dos finais de semana”, ressaltou.

Ainda segundo Aldebaran, de segunda à sexta-feira, serão postados, nas redes sociais do festival, conteúdos digitais de variadas expressões artísticas, como vídeo clipes, documentários, performance, audiovisual. Aos finais de semana, teremos a programação com a mostra competitiva e apresentação dos convidados”, explicou.

A 5º edição compõe um timaço de convidados super especiais, dentre eles: Marcelo Marrom, ator, cantor e humorista, que, em um dos seus números, apresentará uma música solo de autoria própria, escrita no contexto da pandemia e que promete trazer reflexões necessárias ao momento atual.

Também contará com a participação da cantora Kynnie Williams, que lançou recentemente uma trilogia musical e já conta com aproximadamente 1 milhão de visualizações no youtube, além da presença do cantor e compositor Fábio Guma, onde irá fazer a primeira apresentação de seu novo álbum “Sinastria”, comtemplado na Lei Federal Aldir Blanc, e, para fechar as apresentações musicais, teremos o Trio Oyó, integrado pelos musicistas Jô Wilme, Lauro Junior e Jean Carlos que serão responsáveis por trazer toda irreverência do samba.

Representando a dança, quem brilhará será a jovem bailarina e coreógrafa Lorena Bitencourt, que conquistou o 1º lugar em Danças Urbanas na categoria solo feminino, na 36º Festival de Dança de Joinville (SC), saindo vencedora pelo segundo ano consecutivo do Maior Festival de Dança do Mundo.

Representando a poesia, Sandra Wyatt, ganhadora de melhor intérprete da edição do Festim Online em 2020, estará com toda sua potência cênica, além das premiadas atrizes Fátima Jorge, Helen de Freitas e Flávia Vasconcelos.

Durante a semana, o FESTIM apresentará com o documentário “Mulheres da Enxada”, projeto contemplado pelo edital ELIPSE – Programa Estadual de Fomento ao Curta Universitário, “Porto da Barra”, contando toda trajetória de resistência do Cine Teatro de São João da Barra, fundado em 1906, “O Fado de Quissamã, resgatando a memória sonora fluminense e “Danças Urbanas: uma construção de indivíduos”, que fala sobre da importância que a Dança Urbana possui na construção de indivíduos na sociedade. Além do Curta Metragem “A Origem do Dinheiro”, de Eliz Brito, Poesia ao vídeo “Procura-se um Amor”, da Adriana Falcão com interpretação de Viviane Santos, “Do Artista”, trabalho da atriz Isabella Cantarino que reflete o “ser” artista e para fechar, o duo de dança “Liquidez” com bailarinos Josie Schuenk e Pedro Henrique. É com muita alegria que temos uma programação plural, onde todos artistas são macaenses ou com forte ligação com a cidade. Para o Festim, é um grande orgulho contribuir para a valorização dos artistas locais, visto que tem sido uma de nossas bandeiras desde o início do Festival, relata Aldebaran.

Neste ano, o festival foi contemplado pela Lei Aldir Blanc e serão distribuídos mais de R$ 20 mil em cachês e prêmios, exposição fotográfica e a Campanha Festim Solidário, que já estão sendo realizadas também pelo instragram.

Para Aldebaran, além de toda equipe de produção, é uma alegria muito grande ter sido contemplado pela Lei. Ele atribui a conquista a todo empenho e dedicação de toda uma rede, formada por agentes culturais, artistas, produtores, companhias de teatro de todo o Brasil, entusiastas, e empresas parceiras que sempre apostaram na realização do evento.

“Como esse prêmio de patrocínio que ganhamos, percebo que estamos no caminho certo, sem dúvidas, para a promoção de políticas públicas de afeto à cultura, difusão, promoção das artes integradas e o alcance gratuito da população aos eventos culturais. Mas do que nunca, Macaé e cidades vizinhas, precisam de ações emergentes para atender a demanda cultural da região, que é riquíssima, promovendo políticas públicas de cultura”, enfatizou. Para Aldebaran, o Festim foi contemplado pela Lei Aldir Blanc devido, ao sucesso também das quatro edições anteriores. “O Festival de Esquetes de Macaé movimenta participações de todo o Brasil. Em 2020, realizamos uma edição especial online, o Festim Quarentena Poética Poesia ao Vídeo, evento realizado em julho. Tivemos mais de 120 inscrições e trabalhos artísticos, vindos de várias partes do Brasil e fora do país, como Canadá, Índia e Chile. Desta forma, percebemos o alcance do festival e seus impactos positivos para a formação de novas plateias e o reconhecimento da cidade com algo de valor cultural verdadeiro. Sentimos que a cidade, a cada ano, abraça e reconhece o Festim como parte da sua identidade cultural”.

Gostaria de agradecer a todos que contribuem para a realização do Festim 2021. Todos os incentivadores, parceiros e também a equipe de produção deste ano. À equipe, meus agradecimentos: Viviane Santos, Patrick Nunes, Beatriz Siqueira, Marcelo Fonnseca e todos os demais envolvidos, enfatiza Aldebaran. AGRADECIMENTOS ESPECIAIS: Ao Sindpetro Norte Fluminense e Bárbara Bezerra, Carlos Peixoto e a Intertv, além dos parceiros de sempre: Fox Treinamento, Alternativa Internet, O Zé Gastronomia, Fortes contabilidade, Rinha das Artes. Gratidão.

ESQUETES SELECIONADOS: Aparecida, Breve Cia, Belo Horizonte, Minas Gerais - MG Pra falar a verdade, Grupo: Pra Falar a Verdade, Flamengo, Rio de Janeiro – RJ Paternidade, Damião e Cia de Teatro, Campinas - SP Era uma vez um dragão, Coletivo Teatro Virtual Preto, Nova Cidade, Nilópolis - RJ História do coco, Sintonia dominó, Rio comprido – RJ Abrindo o coração, Coletivo Abrindo o Coração, Jardim Sulacap – RJ Etéreo, Cria Expressões Humanas, Rio das Ostras e Macaé – RJ A noiva que virou santa, CTI - Comunidade Teatral Independente, Penha - RJ Cada um a seu canto, Cada qual a seu modo, Teatrama, Araruama – RJ A Hospedeira, Cinclo, Rio de Janeiro – RJ

Foto: Divulgação

Mais lidas da semana