Mídias Sociais

Cultura

Em Macaé, grupo Samba da Vila cria campanha em prol dos músicos da cidade e que estão sem trabalhar devido à crise causada pela Covid-19

Daniela Bairros

Publicado

em

 

Daniela Bairros

A crise causada pela Covid-19 e, que consequentemente desencadeou também uma crise econômica devido o fechamento de bares e restaurantes para evitar a propagação da doença, já chegou a quase 90 dias. Em Macaé, estes estabelecimentos, que oferecem músicas ao vivo com artistas e músicos locais, continuam fechados. Por isso, muitos músicos estão sem trabalhar e enfrentam dificuldades para se manter e até mesmo para garantir o sustento. Alguns, estão usando as redes sociais, com a transmissão de lives para se apresentarem. Vaquinhas virtuais também tem sido criadas, com o objetivo de angariar recursos financeiros para quitação de despesas, como aluguel, luz, água. E para muitos grupos ou músicos, as dificuldades também existem até para a realização das lives porque precisam de patrocínios para a transmissão. É o caso do grupo Samba da Vila. Fundado em março de 2016 por Bruno Manhães, o Badô Presidente, o Samba da Vila nasceu de uma forma despretensiosa, através de uma roda de samba que reunia amigos e amantes do samba raiz na Vila João Rangel de Brito, ao lado da Igreja São Paulo Apóstolo.

A situação dos músicos do grupo Samba da Vila não é diferente dos demais atingidos pela crise do novo coronavírus. Segundo Bruno, em prol dos músicos macaenses e dos próprios integrantes do grupo que vivem da música, na tentativa de amenizar um pouco a situação de todos, está sendo vendida uma rifa no valor de R$ 50, que pode ser comprada mediante depósito bancário em conta (leia a matéria). “Nós fomos os primeiros a parar e seremos os últimos a retornar. E músico também é uma profissão. Mas infelizmente, como muitos pensam, a cultura não é importante. E precisamos sobreviver e pagar nossas contas”, desabafou o fundador do Samba da Vila.  Ainda de acordo com ele, como dependem de shows para levar o sustento para suas casas, e pagar contas, os integrantes do Samba da Vila criou a Rifa Solidária.

O contemplado ou contemplada, segundo Bruno, vai ganhar um show do Samba da Vila em casa, com direito a churrasco para dez pessoas, além de bebidas. Mas o show, conforme ressaltou Bruno, será realizado pós-pandemia. “O sorteio será em meados de agosto, diretamente comigo. Ao depositar ou transferir o valor para a conta, ao enviar o comprovante pelo whatsapp, eu passo o número para a pessoa participar do sorteio”, explicou.

A conta para depósito ou transferência bancária:

Banco Itaú

Agência 4150

Conta Poupança: 09260-1

Bruno Manhães Siqueira

CPF: 115.292.357-90

Mais sobre o Samba da Vila

Da primeira roda de samba do grupo, que contou com aproximadamente 50 pessoas, as rodas não pararam, só aumentavam. E a segunda reuniu 300 pessoas.

O Samba da Vila é apadrinhado por Gabrielzinho do Irajá, que sempre valorizou o trabalho dos compositores, estreitando o contato do grupo Samba da Vila com outros grandes nomes do samba, como a apresentação com o Fundo de Quintal em novembro de 2017.

O grupo Samba da Vila está nas redes sociais, nas plataformas do instagram e youtube, com realização de lives recentes. Confiram: instagram @sambadavilaoficial.  Youtube: Samba da Vila Oficial.

Crédito: Divulgação

Mais lidas da semana