Mídias Sociais

Cidades

Voluntários de Cabo Frio realizam ações para ajudar crianças em tratamento contra o câncer

Thaiany Pieroni

Publicado

em

 

O clima de solidariedade está espalhado por toda a Cabo Frio. Voluntários, de Monte Alegre e de Tamoios, estão realizando ações diferentes, mas ambas com o intuito de ajudar crianças, que enfrentam o tratamento contra o Câncer.

Em Tamoios, distrito de Cabo Frio, um grupo de mulheres estão produzindo toucas de lã, que serão enviadas para a Casa Ronald da rede Macdonald's, no Rio de Janeiro. A Instituição oferece gratuitamente serviços e diversos apoios sociais às famílias atendidas pelos projetos que humanizam o tratamento dos jovens vindos de várias cidades e países.

A confecção das toucas acontecem sempre às terças-feiras, às 14h, na sede da Associação das Mulheres de Tamoios, que fica na Rua Bangu, número 04, em Aquários. O espaço também está recebendo doações de lãs, que são usadas na confecção das toucas.

Já no bairro Monte Alegre, também em Cabo Frio, voluntários da Secretaria de Assistência Social de Cabo Frio (Semas) participam de um projeto de apoio terapêutico às crianças atendidas pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca), no Rio de Janeiro. Eles confeccionam bonecas para crianças em tratamento de quimioterapia. A produção é feita na oficina de corte e costura, que acontece no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Virgílio Corrêa, no bairro Monte Alegre.

O projeto foi implementado, após uma parceria do Cras com a médica, Tânia Tupan, que atende na Estratégia de Saúde da Familiar (ESF) do Porto do Carro. “A doutora fornece material, como retalhos de tecido de algodão, enchimento plumante, lã, feltro e adornos para decoração, que ela consegue através de doações com grupo de voluntários em Cabo Frio. Com esse material e através da facilitadora Ângela Araújo, nossas alunas, a maior parte senhoras, confeccionam as bonecas com um toque especial de carinho e amor”, explica a coordenadora do Cras em Monte Alegre, Sandra Silva Peres dos Santos.

Após o trabalho, as bonecas prontas são entregues à Drª Tânia,  que se encarrega de entregá-las no Inca para repasse às crianças. As bonecas são feitas com cabelos que podem ser retirados ou colocados a qualquer momento e vão acompanhadas com lenços e elementos com os quais as crianças possam se identificar.

A oficina de corte e costura funciona às terças e quintas-feiras nos turnos da manhã e da tarde. Atualmente, 15 alunas frequentam as aulas e participam do projeto, mas há vagas para a formação de novas turmas. “Novos voluntários serão sempre bem-vindos, assim como material para a confecção das bonequinhas terapêuticas. Consideramos a participação uma excelente oportunidade de sensibilização e união para um bem maior, já que o projeto acontece dentro de uma oficina do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV)”, finaliza a coordenadora.

Mais lidas da semana