Mídias Sociais

Cidades

Vegetação continua chegando as praias da Região dos Lagos e Prefeitura de Cabo Frio cobra providências

Thaiany Pieroni

Publicado

em

 

Quase 600 toneladas da vegetação oriunda do Norte Fluminense já foram retiradas das praias da Região dos Lagos, somente na última semana. Porém, a vegetação continua chegando as praias e preocupando os municípios, tendo em vista, o início oficial do verão e automaticamente o aumento dos visitantes.

Na manhã desta quinta-feira, 26, a Prefeitura de Búzios informou que conseguiu deixar as praias da cidade limpas. Mesmo assim, o município segue atuando com força máxima, garantindo a balneabilidade e ótimas condições para que os visitantes e moradores desfrutem das belezas naturais. As equipes têm sido incansáveis tanto na supervisão, quanto na intervenção e retirada rápida de plantas trazidas pelas marés.

Até a última sexta-feira, 20, mais de 20 toneladas destas plantas já haviam sido recolhidas das praias, pelas equipes de limpeza do município. A prefeitura está monitorando a situação e conta com o apoio do INEA para que tudo seja feito da maneira mais rápida e sustentável possível.

Em Cabo Frio, mais de 500 toneladas do material já haviam sido coletadas através de ações da COMSERCAF e mutirões de limpeza, realizados pela sociedade civil.    O monitoramento e a limpeza das areias estão sendo feitos em dois turnos: manhã e noite, seguindo até a madrugada.

Em Arraial do Cabo, as equipes da Secretaria de Serviços Públicos e do IDAC estão limpando diariamente as praias pela manhã e após às 17h, cada dia em uma praia. Além disso, agentes da Guarda Ambiental, barqueiros, quiosqueiros e voluntários também ajudam a recolher o material para facilitar a retirada da areia.

 

Prefeitura de Cabo Frio cobra providências

O prefeito de Cabo Frio, Dr. Adriano Moreno, se reuniu nesta quinta-feira, 26, com o procurador-geral do município, Bruno Aragutti, para tomar novas medidas em relação ao aparecimento da vegetação de água doce nas praias da cidade. A Procuradoria vai apresentar ao Ministério Público Estadual e Federal, uma representação contra o município de Carapebus, para que se apure a responsabilidade sobre a abertura da barragem local e os possíveis danos ambientais causados.

Segundo Aragutti, a Procuradoria também irá consultar todos os órgãos ambientais para saber se algum deles teria autorizado a abertura da barragem. “Além disso, pretendemos propor uma ação de reparação ao município de Cabo Frio pelo impacto na atividade turística e gastos provocados pela limpeza e contenção da vegetação”, explicou.

O prefeito Dr. Adriano Moreno ressalta o trabalho incansável das equipes da Comsercaf e das demais pastas, que já resultou na retirada de 500 toneladas de vegetação da praias do município.

“Estamos fazendo o possível para manter nossas praias limpas. Estou em contato direto com a Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade, que prometeu nos ajudar nessa força-tarefa. Vale lembrar que não se trata de poluição, mas sim de plantas de água doce. A população pode ficar tranquila”, declarou o prefeito.

 

Sobre o caso

O Ministério Público Federal (MPF), a Polícia Federal e a Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade (Seas) investigam a responsabilidade pela chegada das plantas ao oceano.

De acordo com a Prefeitura de Carapebus, houve uma abertura na barra da Lagoa de Carapebus no dia 13, pois as ruas centrais da cidade ficaram alagadas com a chuva da última semana.Ainda de acordo com o município, a intervenção teve autorização do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que é o órgão gestor do Parque Nacional de Jurubatiba.

Também houve abertura da barra da Lagoa dos Paulistas, entre Carapebus e Quissamã. Segundo o ICMBio, essa abertura foi feita por populares e de forma criminosa. Também houve abertura da Lagoa dos Paulistas por causas naturais.

 

Mais lidas da semana