Mídias Sociais

Cidades

Três mil árvores nativas são plantadas em projeto de reflorestamento de área de preservação em São Pedro da Aldeia

Thaiany Pieroni

Publicado

em

 

 

Uma ação de reflorestamento, realizada em São Pedro da Aldeia, está restaurante uma área de preservação permanente no bairro Pau Rachado, zona rural do município. A iniciativa é resultado de um projeto de parceria entre a Prefeitura, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, Lagoa e Saneamento, e a Agrisa (Agro Indústria São João S.A.), empresa produtora de etanol na Região dos Lagos, responsável por executar o plantio das espécies florestais.

De acordo com a Prefeitura, até o momento, mais de três mil mudas de árvores nativas já foram plantadas, recuperando dois hectares de área degradada. O trabalho em parceria deve chegar, ainda, a outras propriedades produtoras de cana-de-açúcar da Agrisa, que também estão em fase de licenciamento no município.

O secretário de Meio Ambiente, Lagoa e Saneamento, Luciano Pinto, conta que além de atender os requisitos legais, o trabalho de reflorestamento evidencia o comprometimento interinstitucional em prol do meio ambiente. “O que nos compete, enquanto órgão licenciador, é implantarmos as faixas marginais de proteção, as FMPs, preservando os nossos corpos hídricos, e inserindo também um corredor ecológico para preservar a biodiversidade, a fauna e a flora local. Essa é a nossa proposta e a Agrisa sempre esteve bastante atuante neste projeto conosco. A nossa missão é fomentar esse trabalho e estamos aqui para unir as nossas forças: eles apoiam com as equipes e alguns insumos e a Prefeitura vai viabilizar o fornecimento de novas mudas, nesse momento via convênio com o Inea, para a gente avançar com as ações”, destacou o secretário.

Iniciado em dezembro de 2019, o projeto de reflorestamento visa promover o desenvolvimento sustentável e a viabilidade da atividade econômica da agroindústria, aliados à preservação dos recursos naturais. Entre as espécies nativas já plantadas estão copaíba, mulungu-do-litoral, saboeiro e angico vermelho, produzidas em um viveiro de mudas, na própria unidade da Agrisa. O trabalho de plantio deve se estender até o final do ano.

“Sempre foi prioridade para a Agrisa o cuidado com o Meio Ambiente. Desde o preparo de solo, plantio e tratos culturais, todas as recomendações agronômicas são seguidas criteriosamente de maneira que a preservação do Meio Ambiente seja cumprida. Esse é um dos principais compromissos da Unidade”, destacou o engenheiro da Agrisa, Ralph Albertassi, líder da Unidade.

 

 

Mais lidas da semana