Mídias Sociais

Cidades

Sessão acalorada marca retorno dos trabalhos do legislativo cabo-friense

Thaiany Pieroni

Publicado

em

 

A primeira sessão do ano da Câmara dos vereadores de Cabo Frio aconteceu nesta terça-feira, 05, em um clima bastante intenso. Apesar de não ter tido pauta para votação, a sessão durou mais de uma hora somente com os discursos dos vereadores e do vice-prefeito, Felipe Monteiro, que abriu a sessão utilizando a tribuna.

De acordo com o vice-prefeito, o prefeito Dr. Adriano não pode estar na sessão pois estava em uma reunião sobre algumas questão da cidade, em especial sobre o Carnaval. Mas, Felipe deixou claro que seu gabinete está de portas abertas para debater todas as demandas da cidade e garantiu que em breve a população verá as diferenças na cidade. "Apesar das dificuldades, a gente tem trabalho muito para entregar uma cidade melhor do que aquela que nós recebemos", frisou o vice-prefeito destacando que espera que seja mantida a cordialidade e parceria entre os poderes do município.

Logo em seguida, a vereadora Alexandra Codeço (PRB) aproveitou a presença do vice-prefeito para solicitar mais cordialidade por parte do Prefeito Dr. Adriano. Segunda ela, há dias ela tenta agenda com o prefeito para tratar sobre assuntos pertinentes a Cabo Frio, sem sucesso.

Essa queixa também foi feita pelo vereador Adeir Novaes (PRB), que afirmou que já tentou por diversas vezes  marcar uma reunião e não conseguiu. O vereador citou alguns problemas relacionados a saúde de Tamoios, solicitou que o Secretário de Saúde e o Prefeito visitem mais o Distrito.

O confronto principal ficou por conta do vereador Jefferson Vidal (PSC), que já começou com críticas com relação a estacionamento, terminal de ônibus de excursão e, saúde. Aproveitou para elogiar o líder do governo, vereador Miguel Alencar (PPS), pelo fato dele estar mostrando trabalho, alfinetando o ex-líder Vanderlei Bento.

O vereador decidiu não deixar barato e disse que estava ali para defender políticas públicas e não para criticar colegas, e que se tivesse que virar oposição de novo, ele viraria. Não bastante, nervoso, Vanderlei chamou Jefferson de "mulherzinha".

Diante do fato, o presidente da casa, eleito para o biênio 2019/2020,  Luis Geraldo (PRB), lembrou o que diz o regimento da casa, relacionado ao tratamento dispensando entre os vereadores no uso da Tribuna. “Peço aos vereadores que observem a forma de tratamento, porque estamos em um espaço onde somos os representantes legais da população”, pediu.

Outro assunto que gerou polêmica durante a sessão foi a situação do Hospital da Mulher. Nesta quinta-feira, 07, os vereadores devem votar pela criação de uma CPI para investigar o caso, de acordo com o vereador Miguel Alencar.

A vereadora Letícia Jotta (PSC) aproveitou para frisar que se colocou a disposição para ajudar no que for preciso, tendo em vista que trabalhou seis anos no Hospital da Mulher e tem entendimento na área. "Se quiserem eu trabalho dentro do hospital, sem remuneração. Porque o que quero é evitar mais mortes", frisou a vereadora.

Também houve cobrança com relação a convocação dos selecionados no processo seletivo. Os vereadores denunciaram a demora na apresentação de documentos, que fez com que algumas pessoas ficassem até de madrugada na fila. A vereador Letícia Jotta informou que entrou com um pedido de cancelamento no processo junto ao Ministério Público, durante a fala do vereador Edilan do Celular (PRP) sobre o caso. O vereador protocolou pedido para que a Secretaria de Edcucação reconsidere os candidatos ao Processo Seletivo que não conseguiram permanecer durante a apresentação de documentos.

 

 

 

Mais lidas da semana