Mídias Sociais

Cidades

Rotina de praias da Região dos Lagos voltam ao normal após vazamento de óleo da Bacia de Campos

Publicado

em

 

As praias de Arraial do Cabo, Búzios e Cabo Frio, que foram afetadas pelo vazamento de óleo oriundo da plataforma Marlim Leste, localizada na Bacia de Campos, voltaram a sua rotina normal, após uma operação força-tarefa realizada no fim de semana.

Em Búzios, a Secretaria de Meio Ambiente atuou junto com a Petrobras para conter e limpar o óleo.  A equipe de Guardas Marítimos Ambientais da Secretaria de Meio Ambiente e Pesca de Búzios realizaram a vistoria de barco, enquanto fiscais e equipe da Petrobrás percorriam as praias identificando os locais com incidência de óleo, fazendo também o registro fotográfico.

De acordo com o secretário de Meio Ambiente e Pesca, Hamber Carvalho, não foi encontrado nenhum dano grave à natureza, fauna e flora marítima. Resíduos do óleo em forma de pelotas sólidas, foram encontrados apenas na areia das praias. Após este levantamento, a operação seguiu com a limpeza.

Até quarta-feira, 10, a Petrobrás promoverá a coleta do óleo depositado nas areias, iniciando no trecho da praia de Una até a Tartaruga. Em seguida, serão limpas as praias da Brava, Canto e Tucuns. O secretário de Búzios reforçou que não há motivo para alarde, pois o vazamento já foi resolvido e os danos controlados.

Em Arraial do Cabo, os principais órgãos municipais (SEMA, SEMUSP, GM, Defesa Civil, IDAC), junto com operadoras de mergulho, pescadores locais, representantes da Petrobras, INEA, IBAMA, Marinha e ICMBio, realizaram a limpeza na Prainha e nas Prainhas do Pontal do Atalaia, que foram as mais afetadas de toda a Região, pelo vazamento.

O Secretário do Ambiente, Arildo Mendes, também reforçou que os banhistas não precisam ficar preocupados. “É importantíssimo ressaltar que não existe um problema de balneabilidade, a água está própria para banho e para pesca. O óleo não se mistura com a estrutura da água. Existem alguns pontos específicos reservados e que já foram isolados. As praias não estão poluídas. Boa parte do material já foi recolhida, a quantidade presente hoje é muito pequena. Hoje estamos tendo reforços,” acrescentou Arildo.

Em Cabo Frio, a bandeira azul, que havia sido arriada na última sexta-feira, 05, devido ao caso, voltou a ser hasteada, indicando que a situação já havia sido normalizada. Equipes da Comsercaf, Meio Ambiente, Guarda Marítima Ambiental e voluntários atuaram prontamente no local para realizar a limpeza, após o ocorrido.

 

Sobre o acidente - Na última terça-feira, 02, equipes do meio ambiente das cidades de Arraial do Cabo, Búzios e Cabo Frio identificaram resíduos de óleo nas areais de algumas praias. O material foi levado para analise e desde então órgãos ligados ao meio ambiente iniciaram o trabalho para identificar o problema.

Na sexta-feira, 05, a Petrobras afirmou que o produto era oriundo da plataforma Marlim Leste, localizada na Bacia de Campos.

O óleo se encontrava estocado em reservatório, onde ocorreu o vazamento para o mar. Justamente por estar estocado em reservatório, o óleo sofreu mudanças de temperatura e adquiriu mais viscosidade, o que evitou que o acidente fosse mais grave. Em contato com a água do mar o óleo se agrupou em pelotas de diversos tamanhos e flutuou até o litoral das cidades da Região dos Lagos, alcançando as praias.

Arraial do Cabo foi a cidade que mais sofreu com o problema. A descoberta da origem do óleo foi possível após a análise do material coletado logo no primeiro dia de vazamento.

Mais lidas da semana