Mídias Sociais

Cidades

Prefeitura de Cabo Frio informa que pagará grevistas por último

Avatar

Publicado

em

 

 

A Prefeitura de Cabo Frio informou na manhã desta terça-feira (21) que iniciou o pagamento total da folha de servidores, que estão com os salários de maio atrasados. A informação foi divulgada através de nota oficial.

Ainda de acordo com a Prefeitura, foram depositados nesta terça os salários dos contratados da Saúde e da Educação. Os profissionais da Educação e os concursados da Saúde que participaram das greves das categorias receberão "nos próximos dias", de acordo com o comunicado.

A Prefeitura informou ainda que "aproximadamente 85% do quadro dos servidores receberão até o final da tarde de hoje (terça)". O presidente do SindSaúde, Gelcimar Almeida, falou sobre a decisão da prefeitura: “Precisamos dar uma resposta rápida e radical ao prefeito Alair Corrêa. Todos os limites foram ultrapassados e precisamos reagir”.

Os profissionais da saúde e educação fizeram uma manifestação em frente à prefeitura na tarde desta terça. Depois, eles seguiram em direção à Secretaria de Fazenda. A diretora de comunicação do SEPE Lagos, Denise Teixeira, também se manifestou sobre o comunicado da prefeitura: “Isso se configura assédio moral e desrespeito ao direito constitucional de greve, atitude que já foi condenada pela OAB de Cabo Frio. Já passamos essa questão para o nosso corpo jurídico para que se tomem providências” – disse ela.

 

Grevistas invadem Secretaria de Fazenda e ocupam prédio

Os grevistas invadiram o prédio da Secretaria de Fazenda no fim da tarde desta terça-feira (21). O ato foi em resposta ao comunicado da prefeitura de que iria pagar os grevistas por último. Os manifestantes ocuparam o prédio no fim do expediente, logo após manifestarem na frente da prefeitura.

Guardas municipais tentaram impedir a entrada dos sindicalistas no prédio da secretaria, mas não conseguiram. Uma multidão tomou as dependências da unidade, portando cartazes e entoando palavras de ordem contra o prefeito Alair Correa (PP). A Polícia Militar foi chamada para conter a confusão. Ao fim do expediente, às 17h, a luz do prédio foi desligada, mas os manifestantes não saíram, e afirmaram que a ocupação vai permanecer. Por volta das 18h o prédio foi trancado e os manifestantes ficaram presos dentro da unidade.

 

 

Mateus Marinho

Mais lidas da semana