Mídias Sociais

Cidades

Posto de Saúde da Família em Macaé ajuda população a trocar remédios controlados por plantas medicinais

Avatar

Publicado

em

 

São pouco mais de 10h de uma manhã nublada no Campo D’Oeste, em Macaé, quando um grupo de pessoas bastante heterogêneo está reunido ao redor de uma pequena mesa com algumas frutas no Posto de Saúde da Família (PSF) do bairro.

Eles ouvem os depoimentos de uma mulher de boa aparência, saudável e bastante comunicativa, que divide suas dificuldades em lidar com o que, para muitos médicos da atualidade, é o “mal do século XXI”: o estresse.

A maioria das pessoas ali – quase 20 – passa pelos mesmos problemas. Devido a problemas de diversas ordens, receberam receituários com prescrições para tomarem remédios controlados, as chamadas “receitas azuis”.

Mas, diferente do que ocorre na maioria das unidades de saúde da cidade, no PSF do Campo D’Oeste, além da receita, o paciente recebe também um convite, como explica a Dra. Andrea Gonçalves, responsável pela unidade.

“Quando o paciente sai daqui com a ‘receita azul’, nós damos a ele também um convite para participar das nossas oficinas, além de dar também uma carta que esclarece o paciente sobre os riscos do uso excessivo de remédios controlados”, explica Dra. Andrea.

As oficinas são reuniões quinzenais como aquela narrada no início da reportagem, em que a médica e o psiquiatra Dr. Henrique Pazzini, juntamente com agentes comunitários de saúde da unidade, conversam com pacientes sobre estresse, plantas medicinais e outros temas relacionados à saúde.

O objetivo, segundo a Dra. Andrea, é ajudar os pacientes a substituir o uso de medicamentos controlados por plantas medicinais, resgatando uma cultura tão popular e, ao mesmo, tão esquecida pela saúde brasileira nas últimas décadas, a cultura do chá.

E a iniciativa, que começou em 11 de abril deste ano, já deu seus primeiros frutos. Embora a horta da unidade ainda esteja em estágio de crescimento, como lembra a Dra. Andrea, em pouco tempo, duas pacientes já se livraram dos remédios controlados. E com resultados extremamente positivos para a saúde, como é o caso de Rosania Massena.

“Eu tomei remédios controlados por mais de 30 anos. Trabalhei na enfermagem e sempre pegava alguns remédios, quebrava e ficava tomando ao longo do dia, por causa de problemas nervosos. Quando vim aqui, a equipe do posto me falou sobre a ideia. Eu pensei, ‘mas cidreira, será que dá resultado?’. É uma erva tão conhecida, não é? Eu fiquei meio desconfiada. Mas mesmo tomando os remédios, muitas vezes eu não conseguia dormir. Passava noites em claro, nervosa. Então pensei, ‘para tomar remédio e ficar sem dormir, vou tomar o chá, que pelo menos, faz bem’. E aí comecei a substituir os remédios pela cidreira. E comecei a dormir tão bem, dormir feito criança, a noite toda. Hoje durmo muito melhor do que quando eu tomava os remédios”, conta Rosania, que há pouco menos de 2 meses, se livrou das “receitas azuis” e hoje tem não apenas o sono, mas uma vida mais saudável, graças à iniciativa do PSF do Campo D’Oeste.

Tunan Teixeira

Mais lidas da semana