Mídias Sociais

Cidades

Pesquisadores da UFRJ realizam estudo na Lagoa de Araruama

Thaiany Pieroni

Publicado

em

 

Pesquisadores da UFRJ deram início a um estudo na Lagoa de Araruama. O procedimento é resultado da assinatura de um termo de cooperação técnica entre a Prolagos, concessionária de água e esgoto responsável por cidades da Região dos Lagos, e o Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-graduação e Pesquisa de Engenharia, o Coppe, da UFRJ.

O objetivo é avaliar as condições da lagoa para que sejam propostas ações de melhorias e despoluição da maior laguna de água salgada do mundo. Através das análises, os pesquisadores vão apontar os pontos ideais para o trabalho de drenagens e abertura de canal, além do custo das ações e os resultados previstos.

Nesta quinta-feira, 07, os pesquisadores instalaram uma estação meteorológica e quatro sensores em pontos estratégicos, que farão análises da água na Lagoa. Nesta etapa estão sendo realizados estudos de campo para monitorar a velocidade e direção do vento e o nível da lagoa.

“Esses medidores permitirão que o modelo hidrodinâmico seja calibrado, identificando as mais diversas variáveis. Com isso, poderemos verificar, antes de fazer investimentos, se as ações propostas terão mais efetividade”, explicou o doutor em Oceanologia, professor Julio Wasserman, coordenador adjunto do projeto, que tem a coordenação geral do professor doutor Paulo Cesar Rosman, Ph.D. em Engenharia Costeira.

De acordo com o pesquisador, os sensores deverão permanecer por cerca de 15 dias e os dados serão inseridos no programa que fará as simulações. “Estamos construindo elementos de conhecimento da Lagoa de Araruama. Esta é a primeira vez que é feito o monitoramento simultâneo de diversos pontos. Com as informações coletadas, esperamos que o modelo computacional represente fielmente a realidade”, disse Otávio Pecly, da área de engenharia costeira e oceanográfica da Coppe/UFRJ.

O projeto tem duração de seis meses e ao final o documento será compartilhado com representantes dos governos Federal, Estadual e Municipal e Consórcio Intermunicipal Lagos São João para que tenham subsídios técnicos para definirem suas ações em prol da Lagoa de Araruama.

 

 

Mais lidas da semana