Mídias Sociais

Cidades

Obras de drenagem em Manguinhos, em Búzios, avançam mais uma etapa

Thaiany Pieroni

Publicado

em

 

As obras de drenagem realizadas no bairro Manguinhos, em Búzios, estão avançando com sucesso. Dando continuidade ao cronograma de planejamento, a intervenção que já passou pela Rua da Linguiça e avançou pela Av. José Bento Ribeiro Dantas, agora está na Rua Celeste da Costa.

A obra que teve início em 2014 ficou paralisada por decisão judicial em virtude da necessidade de desapropriar uma casa cujo proprietário iniciou um processo. Os Engenheiros da Secretaria De Obras e Saneamento refizeram o projeto mudando o trajeto e retomaram as obras em janeiro de 2019. Agora, a previsão de término é para Julho de 2019.

De acordo com o  Secretário de Obras e Saneamento, Paulo Abranches, a obra está seguindo o planejamento, porém as interferências ao longo da intervenção, como questão de tubulações e necessidade de fazer desvios atrasa a data de entrega da construção. “Esses imprevistos faz com que a fase ande abaixo do esperado, mais ainda entregaremos dentro do prazo estipulado no projeto,” relatou o Paulo.

A construção conta com tecnologia de ponta, os tubos de seis metros de comprimento e 1m20 de diâmetro, feitos de polietileno de alta densidade vão facilitar o escoamento da água. O sistema de drenagem liga a Rua Vieira Câmara ao Porto da Barra, onde encontra a praia de Manguinhos. A tubulação segue pela Rua Vieira Câmara, passa por trás da madeireira Ita, até sair na Rua Celeste da Costa, seguindo em direção à Avenida José Bento Ribeiro Dantas. Continuando pela avenida, a rede de drenagem entra na rua da Linguiça, atravessa terrenos particulares, encontra a rua das Flores, passa pela Rua 5 ao lado da Escola Municipal Nicomedes Theotônio Vieira, e segue em direção ao Porto da Barra.

Ainda segundo o Secretário, a rede de drenagem em construção liga o Porto da Barra à rua Vieira Câmara e vai acabar com as enchentes que ocorrem no local. “Essa obra busca reconstituir o caminho natural das águas, que foi impedido por construções irregulares de residências, com a chuva as casas ficavam todas alagadas,” explicou o Secretário.

 


 

Mais lidas do mês