Mídias Sociais

Cidades

Live da Católica Salesiana, em Macaé, apresenta perspectivas profissionais para o Engenheiro da Computação no pós-pandemia

Publicado

em

 

Da redação

 

Com o avanço cada vez mais acelerado das novas tecnologias e a expansão do setor de Tecnologia da Informação (TI), especialmente neste momento de busca de soluções mercadológicas demandadas pela Pandemia do novo coronavírus, ou SARS-CoV-2, o profissional de Engenharia da Computação passou a ter mais oportunidades de projetar, construir, programar e manter softwares e hardwares.

“A área de E-commerce (comércio eletrônico) cresceu 47% durante a Pandemia. Ou seja, estamos atuando quase 50% a mais do que em janeiro de 2020. O E-commerce engloba não só a venda em si, mas a logística, marketing, pós-venda e estamos vislumbrando um crescimento fabuloso”, revelou o professor Alan Galante ao dar início aos temas da Live “Perspectivas & Oportunidades na Engenharia da Computação”, realizada pelo canal do YouTube da Faculdade Católica Salesiana.

Em seguida, o professor José Carlos Rocha ressaltou o crescimento acelerado de abertura de vagas na área de TI desde o ano de 2019, alcançando em 2020 um aumento de 63%, de acordo com dados do Banco Nacional de Empregos. “O que mais cresceu no recrutamento foram as contratações de profissionais para desenvolvimento de software e suporte técnico, impulsionadas pelas empresas que antes não investiam tanto nesta área e mudaram seu posicionamento durante a Pandemia, especialmente para conseguirem se recuperar neste período”.

Já o docente Irineu Lima frisou a área de automação industrial e robótica como bastante promissora também, na qual egressos de Engenharia da Computação têm atuado. “Ao fazer uma pesquisa, identifiquei que algumas dessas vagas aceitam profissionais desde o nível técnico ao nível superior e visam melhor encaixar o profissional dentro das necessidades das empresas, que são as mais diversas. A maioria das vagas de emprego na Região Sudeste estão na indústria automotiva, naval, metalurgia e siderurgia, entre outras”, disse.

“Ainda em se tratando de oportunidades, vislumbramos um aumento gigantesco na geração e captura de dados. Para se ter uma ideia, em 2020, há a previsão de chegar a 59 zettabytes de dados processados. É uma massa de dados absurda que o mundo vem gerando, seja com os sistemas do dia a dia, com compras online, redes sociais etc., e a maior questão está em conseguir tratar toda essa informação”, salientou o professor Giovanni Colonese, seguido pelo coordenador do Curso de Engenharia da Computação, Mauro Dias.

“Por tudo isso que ouvimos hoje dos nossos professores, que são referência nas suas áreas, acreditamos que o mercado de Computação está em franca expansão. Dependendo do porte da organização e do cargo, um Engenheiro da Computação pode ultrapassar um salário de R$9 mil. É um mercado muito amplo e, atualmente, com demanda maior do que a oferta de profissionais no Brasil e no mundo”, concluiu Mauro.

A Live teve a mediação do jornalista Alysson Nogueira e a participação importante de estudantes e profissionais.

 

Mais lidas da semana