Mídias Sociais

Cidades

Lei que proíbe uso de animais para frete em carroça e charrete não é cumprida em Tamoios, distrito de Cabo Frio

Avatar

Publicado

em

 

Depois de cinco meses, que a lei 194/16, que proíbe o uso de animais de tração para transporte de materiais, cargas ou pessoas em charretes, carroças e demais materiais usados para tração no Estado do Rio, foi sancionada, em Tamoios, distrito de Cabo Frio o problema continua em evidencia.

No distrito, é bem comum encontrar carroças transitando pelas vias e disputando o lugar com os veículos, o que incomoda muito a maioria dos motoristas como Carla Cristina. Recém habilitada, ela tenta dirigir com toda cautela possível, e se sente desconfortável com a situação das carroças. “Eu acho muito perigoso, porque você tem que ultrapassar a carroça para seguir seu caminho em uma velocidade apropriada e em alguns pontos isso não é possível. Além disso, muitos carroceiros, andam a noite pela estrada, sem nenhuma sinalização, o que é um risco maior ainda”, lembrou.

A situação também chama a atenção dos amantes de animais, que acreditaram que a nova lei melhoria o problema dos maus tratos. A estudante, Ana Clara, afirma que não consegue observar cavalos e outros animais carregando pesos absurdo e vivendo em situação precária. “Normalmente, os animais não estão em boas condições, não se alimentam como deveriam e ainda carregam peso acima do que conseguem. Isso sem falar que muitos ainda apanham para ‘trabalhar mais’”, enfatizou indignada a estudante, que completou afirmando que essa é uma ação totalmente desumana e é necessário denunciar.

De acordo com a lei, o poder público é obrigado, através de seus órgãos competentes, a recolher os animais utilizados em transportes de cargas, materiais ou pessoas, atividades caracterizadas como maus tratos. Quem descumprir a Lei será penalizado de acordo com a legislação vigente relacionada a maus tratos aos animais.

A nova legislação já está em vigor e, quando constatado o crime, qualquer cidadão poderá comunicar aos órgãos competentes e de proteção animal.

 

Animais soltos – Além do problema das carroças, o distrito enfrenta um problema muito sério, que são os animais soltos na pista. A situação é muito mais comum do que deveria ser, sendo um grande risco para a população.

Acidentes com animais de grande porte, normalmente são graves e podem levar a morte, tanto do animal quando dos condutores ou passageiros dos veículos. O motociclista Silmar, lembra que recentemente um acidente causado por um cavalo solto na Rodovia Amaral Peixoto, causando um grande estrago. Ele estava passando no local e a vítima só não teve complicações mais graves por conta da chegada rápida do corpo de bombeiros, porém o animal, não resistiu.

Em alguns pontos, como a estrada da integração, a situação é ainda mais perigosa, a via possui muitas curvas e pouquíssima iluminação, o motorista precisa ficar atento aos sinais. “Eu fico observando os veículos que vem em direção oposta, normalmente eles sinalizam e já imaginamos que tem animal na pista”, comentou a motorista Cristina.

Animais de grande porte soltos nas ruas são recolhidos pela secretaria de agricultura da cidade, e a população também pode denunciar. O proprietário do animal é multado.

 

Mais lidas da semana