Mídias Sociais

Cidades

Equipamentos quebrados, poucos profissionais nas ruas e falta de transparência fazem estacionamento rotativo de Macaé campeão de reclamações

Avatar

Publicado

em

 

Contrato do serviço, assinado no apagar das luzes no final de 2012,  poderá ser revisto pelo atual governo e devassado pela câmara

Você sai do carro, caminha até um dos poucos aparelhos que liberam tickets de estacionamento rotativo das ruas de Macaé e se depara com o terminal defeituoso ou desligado, anda mais um pouco a procura dos escassos cobradores que circulam com máquinas portáteis que emitem os bilhetes mas sem sucesso resolve arriscar e deixa o carro sem o rotativo. Para sua surpresa ao chegar no seu carro se depara com um auto de infração pregado no para-brisa e mesmo que a falta de terminais ou profissionais seja a justifica o cidadão acabará levando para casa mais uma multa. Pois essa é a realidade enfrentada por muitos dos usuários do sistema de transporte rotativo de Macaé.

Operado por uma empresa do Rio Grande do Sul, o contrato, que foi assinado em 2012 no apagar das luzes no governo do então prefeito Riverton Mussi também sofre críticas quanto a transparência dos valores arrecadados já que o município recebe, ou deveria receber, um percentual sobre o faturamento da venda dos bilhetes. Com uma prestação de serviço ruim e sem transparência a expectativa é de que o governo e a câmara dos vereadores atuem fortemente para que seja entregue aos usuários um serviço de melhor qualidade.

Mais lidas da semana