Mídias Sociais

Cidades

Construção irregular na Ilha do Japonês será derrubada pela Ambiente de Cabo Frio

Publicado

em

 

Obra está sendo levantada em área de preservação, mas construtores alegam ser troca de telhado

 

Ainda esta semana, os fiscais da Coordenadoria de Meio Ambiente de Cabo Frio demoliram uma obra em área de preservação ambiental, edificada atrás dos quiosques da Ilha do Japonês. No local só podem existir as edificações antigas. Rolsima Tavares, responsável pela obra, alegou que a intervenção é feita para uma associação beneficente, que, segundo ela, funciona numa casa ao lado. "Estamos colocando estacas para tapar o terreno com telhas, pois lidamos com crianças. Edificação é quando usamos tijolo e cimento. Edificação não é troca de telhado. É parede", argumentou.

O gerente de operações do estacionamento, Igor Benites, diz que a obra já acontece há alguns dias. "Percebemos a chegada de material de construção: cimento, areia, pedra. Eram sinais de que ali iria acontecer uma edificação. Não é possível que uma estrutura desse tamanho sustente um telhado sem cimento. Sem cimento, cai. E cimento aqui não pode",  afirmou.

A construção foi oficialmente detectada no sábado a tarde, quando funcionários da Nova Cabo Frio Estacionamento impediram a entrada de um caminhão com materiais de construção no local, ao verificarem que três pedreiros estavam levantando colunas de madeira. O gerente de operações do estacionamento, Igor Benites, diz que a obra já acontece há alguns dias. "Percebemos a chegada de material de construção: cimento, areia, pedra. Eram sinais de que ali iria acontecer uma edificação. Não é possível que uma estrutura desse tamanho sustente um telhado sem cimento. Sem cimento, cai. E cimento aqui não pode",  afirmou. Esta semana, a coordenadoria de Ambiente irá noticiar os responsáveis pela construção e demolir o que foi erguido.

 

Tânia Garabini


 

Mais lidas do mês