Mídias Sociais

Cidades

Com apoio da PM, integrantes do MST desocupam fazenda em Rio das Ostras

Publicado

em

 

 

Na madrugada do dia 21, cerca de 200 famílias MST ocuparam a fazenda Rancho Sagitário, localizada no distrito de Cantagalo. Segundo a PM, não houve resistência à ação. 

Terminou agora pouco a desocupação das terras da fazenda Rancho Sagitário, situada no distrito de Cantagalo, em Rio das Ostras e que estava ocupada desde o dia 21 por integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

A Polícia Militar participou do processo de desocupação da área, por conta de um pedido judicial. Segundo o subcomandante do 32º Batalhão de Polícia Militar (32º BPM), tenente- coronel Aredes, não houve resistência por parte das cerca de 200 famílias do MST que ocupavam a área.

A fazenda ocupada fica no entorno da Reserva Biológica União. Os integrantes do MST afirmam que a área, que possui uma grande biodiversidade, está sendo degradada pelo atual proprietário Renato Barbosa Salgado. Por ter despejado dejetos no leito do rio que chegaram a atingir a reserva biológica, o Ministério Público Federal entrou com uma ação civil pública contra o proprietário em 2007.

As famílias que constroem a ocupação são das periferias de Rio das Ostras e Macaé. Elas exigem que as terras improdutivas da fazenda Rancho Sagitário sejam destinadas à reforma agrária. Após o golpe de estado instalado no país em 2016, a reforma agrária passa por período de desmonte. No último ano, nenhum assentamento foi realizado. Essa realidade se ampliou com a aprovação da lei 13.465/17, conhecida como lei da antirreforma agrária.

Mais lidas da semana