Mídias Sociais

Cidades

Cidades da Região dos Lagos participam do Dia D da Campanha de Vacinação contra a Influenza

Thaiany Pieroni

Publicado

em

 

Neste sábado, 04, é o Dia D da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. Neste dia, cidades de todo o Brasil, inclusive, da Região dos Lagos estarão aplicando a vacina nos grupos considerados de risco.

Em Cabo Frio, o atendimento será feito nos 23 postos de vacinação, no primeiro e segundo distritos, que fazem parte da campanha, das 9h às 17h.

As unidades são: ESF São Jacinto, ESF Maria Joaquina, ESF Florestinha; P.S. de Unamar; PAM de Santo Antonio; ESF Nova Califórnia; ESF Angelim; ESF Parque Burle; UBS Praia do Siqueira; ESF Praia do Siqueira; ESF Guarani; ESF Jardim Caiçara; P.S. Itajuru; ESF Gamboa; ESF Jacaré; ESF Monte Alegre; ESF Boca do Mato; ESF Tangará; Hospital Municipal Otime Cardoso dos Santos (Jardim Esperança); ESF Cajueiro; ESF Jardim Nautilus; Centro de Saúde Oswaldo Cruz (Braga) e  ESF Vila Nova.

"O vírus está por aí circulando e é nesses grupos que ocorrem os quadros mais graves, como insuficiência respiratória e até mesmo a morte. Por isso, a grande importância do Dia D de vacinação é ofertar um horário estendido de atendimento nas unidades, facilitando para as pessoas que trabalham ou têm outras atividades durante a semana”, comentou a superintendente da Vigilância em Saúde de Cabo Frio, Lucy Pires.

Em Búzios, dez unidades estarão aplicando a vacina neste sábado. Sendo elas: UBS da Brava; Policlínica de Manguinhos; UBS de Cem Braças; UBS de Custódio Alves; UBS de São José; UBS de José Gonçalves; UBS Baía Formosa; Policlínica da Vila Verde; Clínica da Família; UBS da Rasa

Já em São Pedro da Aldeia, a vacinação acontece das 8h ás 13h, em todas as salas de vacinas e unidades de saúde do município, com exceção de Três Vendas e Mossoró.

“O público do Dia D contra a Influenza é diferenciado; geralmente, os moradores que compõem o grupo definido estão trabalhando e não podem comparecer aos postos durante a semana para se vacinar. Neste Dia D, vamos abrir as nossas unidades de saúde para imunizar o maior número possível de pessoas que devem receber a vacina. Faremos a vacinação pela manhã até o começo da tarde para otimizar o funcionamento dos postos, se trata de uma campanha longa, então seguiremos a imunização até o fim do mês de maio”, disse a diretora de Atenção Básica, Jaqueline Tinoco.

 

 

Sobre a campanha - A campanha de vacinação visa alcançar 90% do público alvo definido para imunização até o dia 31 de maio, data estipulada para o fim da campanha ministerial.

De acordo com orientações do Ministério da Saúde, o público-alvo para a campanha envolve crianças de seis meses a menores de seis anos de idade (cinco anos, 11 meses e 29 dias), as gestantes, puérperas (mulheres com até 45 dias após o parto), pessoas com 60 anos de idade ou mais, povos indígenas e trabalhadores de saúde. Além de adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medida socioeducativa e população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições especiais, independentemente da idade. Para este último grupo, a apresentação da prescrição médica, especificando o motivo da indicação, é obrigatória e deverá ser apresentada no ato da imunização. A vacina também será ofertada aos professores das escolas públicas e privadas.

No comparativo com 2018, a principal mudança no público-alvo foi a ampliação da margem infantil. Até o ano passado, o imunizante viral era aplicado apenas nas crianças de 6 meses a 5 anos incompletos, agora, naquelas com até 6 anos incompletos.

Há contraindicação para pessoas com alergia aos componentes da vacina, principalmente à proteína do ovo. Portadores de doenças neurológicas e síndrome Guillain-Barré devem consultar um médico antes de tomar a vacina e seguir as orientações. Para pessoas que tenham apresentado febre recente, recomenda-se adiar a vacinação até que o estado de saúde melhore.

 

 

Sobre a doença - A Influenza é uma doença viral febril, aguda, comumente conhecida como gripe, caracterizada por sintomas como febre, tremores, dores de cabeça, dor de garganta e rouquidão, além de alterações respiratórias, como tosse seca e coriza. Existem três tipos de vírus Influenza: A, B e C. O vírus Influenza C causa infecções respiratórias brandas, sem causar impactos na saúde pública ou estar relacionado com epidemias. Já os vírus A e B são responsáveis por epidemias sazonais. O vírus Influenza A é classificado ainda em subtipos H1N1 e H3N2, além do H7N9. A transmissão ocorre pelo contato com pessoas infectadas, ao tossir, espirrar ou falar. Pode ser transmitida, ainda, indiretamente pelas mãos, após contato com superfícies contaminadas por secreções respiratórias.

Mais lidas da semana