Mídias Sociais

Cidades

Cabo Frio poderá sediar empresa de produção e venda de moluscos bivalves

Thaiany Pieroni

Publicado

em

 

Uma empresa hispano-brasileira, especializada na produção e venda de moluscos bivalves (mexilhões e vieiras), poderá implantar uma fazenda de maricultura para o cultivo de mexilhões no canto esquerdo da Praia do Peró, em Cabo Frio. A novidade, caso seja oficializada, pode ajudar a fomentar a economia não só da cidade como de toda a Região.

De acordo com a empresa, a estimativa é que sejam criados 500 empregos diretos e outros 1.500 indiretos, além do impacto direto sobre a economia local e fomento da indústria de turismo, com a formação de recursos humanos necessários para a implementação do plano tanto a nível técnico/universitário como em nível de operacional, com convênios com universidades e escolas.

O projeto já tem licenciamento ambiental do Inea e está em fase de final de tratativas com a Prefeitura de Cabo Frio e a Marinha do Brasil. “Anteriormente, a intenção da empresa seria instalar a fazenda na região da Praia do Foguete, mas era complicado por se tratar de zona de transição de pescados e ficar ao lado da reserva extrativista de Arraial do Cabo. O Inea avaliou muito bem a questão dos impactos ambientais e não tivemos resistência por parte das colônias de pesca que atuam no local. O projeto é muito bem estruturado e pode alavancar a geração de empregos, com a capacitação de moradores locais tanto para o manejo quanto para o beneficiamento dos mexilhões”, explicou o coordenador de Meio Ambiente da Secretaria de Desenvolvimento, Mario Flavio Moreira.

Outro ponto positivo é que a empresa intenciona a criação de um selo, o  “Mexilhão de Cabo Frio”, que certificará o mexilhão produzido, processado e elaborado em Cabo Frio com os controles de qualidade total mencionados, regulada na legislação brasileira sobre Denominações de Origem Protegida (DOP), e que permite ao consumidor identificar instantaneamente um produto seguro e de alta qualidade.


 

Mais lidas do mês