Mídias Sociais

Caderno D

Festa em homenagem à Padroeira de Búzios começa nesta quinta-feira, 26

Thaiany Pieroni

Publicado

em

 

Começa nesta quinta-feira, 26, a tradicional festa de Sant’Anna, em Búzios. A programação em homenagem a Santa que é a Padroeira do Balneário segue até o dia 29 de julho com variadas atividades, que inclui progrmação religiosas, shows de MPB, competições religiosas, quadrilhas e queima de fogos. A festa acontece com realização da Paróquia de Sant’Anna e Santa Rita de Cássia e apoio da Prefeitura de Búzios.

A festa em homenagem à santa acontece desde 1740, sendo considerada a maior e mais importante manifestação de fé e cultura da cidade de Búzios. Ao longo destes 278 anos de celebração, a festa em homenagem à padroeira vem sendo considerada um encontro das famílias buzianas.

 

Programação - A abertura das festividades será na quinta-feira, 26, com a tradicional alvorada às 6h. Às 10h será realizara uma missa Solene, às 11h, solenidade das bandeiras. Às 18h haverá uma solene procissão, seguida de uma missa. A partir das 21h haverá shows no Morro da Igreja e no palco principal.

Na sexta-feira, 27, acontecem shows nos dois palcos a partir das 21h.

No sábado, 28, a programação começa com a competição de Stand Up, que sairá da Praia de Manguinhos em direção à praia de Armação. Às 20h terá missa e a noite será encerrada com shows.

No domingo, 29, a festa começa com a corrida e travessia de Sant’Anna, às 8h. Uma cavalgada será realizada a partir das 10h e um almoço com bingo às 13h. A noite haverá shows nos palcos e queima de fogos encerrando a programação.

 

Sobre a crença - Segundo a tradição católica, Santa Ana ou Sant’Anna (do latim Anna, por sua vez do hebraico transliterado Hannah, “Graça”) foi genitora de Maria, mãe de Jesus Cristo. Diz a crença católica que a imagem de Santa Ana foi encontrada no mar por pescadores e que, a partir desse dia, não faltou mais pesca para a população. Além disso, a tradição conta que durante a construção da Capela, em 1740, a imagem da santa mudava milagrosamente de posição, virando-se em direção ao mar durante a noite, o que fez com que a capela fosse definitivamente construída voltada para o mar.

Entre 1728 e 1768, o povoado de Armação dos Búzios foi um importante entreposto (“armação”) de caça às baleias no Brasil colonial. A praia da Armação era o local onde se localizava a armação baleeira propriamente dita (com reservatórios de óleo de baleia, administração, senzala, etc), enquanto que a praia dos Ossos era o local onde o processamento das baleias era iniciado, separando-se a carne dos ossos dos animais.

O desenvolvimento da armação foi particularmente impulsionado pelo contratador português Brás de Pina, que teria levantado a Capela (ou Igreja) de Santana com pedra, cal e argamassa de óleo de baleia, objetivando homenagear a santa, que teria salvado do naufrágio um barco com escravos. A Igreja é, atualmente, a única edificação da época dos tempos da pesca da baleia ainda de pé.

Mais lidas da semana