Mídias Sociais

Caderno D

8ª Exposição de orquídeas termina neste domingo (11) nos Cavaleiros, em Macaé

Avatar

Publicado

em

 

A 8ª Exposição de Orquídeas de Macaé termina neste domingo (11) na Galeria Café com Artes, na Avenida Atlântica, 1690, nos Cavaleiros, das 9h às 16h. O evento tem entrada franca e nesta edição, a Florália de Niterói, um dos mais famosos orquidários do Brasil está participando novamente. Além da participação do “Mundo das Orquídeas”, do distrito do Sana, que também irá expor plantas da espécie.

Segundo os organizadores do evento, haverá mais de 100 variedades de orquídeas para amadores e colecionadores, além de todo o material necessário para o cultivo, como adubos, vasos e substratos.

Na programação da exposição também tem café da Galera, Café com Artes e quitutes de alguns food bikes da cidade.

Plantio

Existem diferentes maneiras de iniciar um cultivo de orquídeas, que podem ser propagadas por meio de suas sementes ou vegetativamente pelo cultivo de partes da planta em substrato adequado e cultura de tecidos. Porém, para o cultivo a partir de sementes, as orquídeas apresentam algumas particularidades.

Seis segredos para cultivar orquídeas

Apesar de ser uma das plantas mais cultivadas, a orquídea costuma gerar muitas dúvidas.

  • Regar o vaso por cima – Regá-la por cima (na torneira mais próxima), deixar escorrer de volta no lugar. O pratinho, colocado sob o vaso, deverá ser usado apenas para proteger os móveis da umidade e não para acumular água.
  • Use vasos de barro – O ideal é plantá-las em um vaso de barro com furos laterais ou fazer furos no de plástico. Nesse último caso, prefira os transparentes, que abafam menos do que os pretos. E nada de plantá-las direto na terra.
  • Aguar em abundância – Regue os vasos duas vezes na semana ou mais, se o tempo estiver quente. Para saber quando molhá-la, coloque o dedo no substrato e sinta se está seco; deve ficar úmido e nunca encharcado demais.
  • Adubar uma vez por semana – Todas as plantas precisam de “comida”. Pode-se usar os químicos, como o NPK 20-20-20, ou os orgânicos, como farinha de osso, torta de mamona, Bokashi e torta de neem, entre outros.
  • Não cortar o cabinho da flor – Orquídeas do gênero Phalaenopsis florescem de novo a partir das hastes velhas. Por isso, só corte a haste floral se a planta secar o cabinho por conta própria. Enquanto estiver verde, deixe-o na planta.
  • Não jogar o vaso no lixo – Ao contrário do que muitos pensam, orquídeas não morrem depois de dar flor. Em alguns meses, a orquídea florescerá novamente. As do gênero Phalaenopsis por exemplo, dão flor até três vezes por ano.

Mais informações sobre a 8ª Exposição de Orquídeas de Macaé, pelo telefone: (22) 98825-4507

 

Esio Bellido

Foto: Divulgação

 

 

 

Mais lidas da semana