Mídias Sociais

Artigos

Reflita com filósofo

Publicado

em

Hoje, com prazer, reapresento algumas frases das obras do filósofo macaense Thudo Vazzio. Ele nasceu no distrito de Cachoeiros de Macaé, vivendo atualmente em Crubixais de Cima. Uma boa reflexão para todos os leitores do Diário da Costa do Sol.

  1. Vivemos na sociedade dos espetáculos, sociedade que supervaloriza os aplausos que o grupo pode oferecer ao indivíduo. Nosso valor como pessoa não está radicado no ser, na construção de personalidades sadias e saudáveis. Somos e valemos por aquilo que temos, produzimos e consumimos.
  2. A história do nosso mundo é a história da nossa estupidez, da nossa profunda insensatez frente aos graves problemas que impactam a nossa dignidade. Somos estúpidos e insensatos por não buscarmos as causas de tais problemas. Nossa educação, também estúpida e insensata, modela-nos para uma exagerada preocupação com os efeitos ou prejuízos de tais problemas e, jamais, com as suas causas. Recordar Leonardo da Vinci neste momento é oportuno: “que pensas, Homem, de tua própria espécie? Não te envergonhas de tua estupidez?”.

III. Apropriar-se de si mesmo é a questão básica da pessoa. Através de tal apropriação passamos a possuir uma existência efetiva, SOMOS EM VERDADE. Se a apropriação não existe, é algo impossível, somos meramente consumidores de estruturas nascidas em esferas distantes de nossos desejos, de nossos sonhos e de nossos projetos de vida, SOMOS ZUMBIS.

  1. Quando as informações circulam sem restrições, permitindo que os diversos setores da sociedade possam a elas terem acesso, vivemos o processo democrático. Quando as informações, aquelas mais relevantes, estão aprisionadas pelo poder, vivemos a ignorância desejada pelos poderosos.
  2. O controle permanente do poder político por um determinado grupo, com interesses voltados para o seu projeto de hegemonia, impede que ocorra a alternância na gestão dos destinos de uma cidade, de um estado. É preciso realizar uma reforma política verdadeira, não a excrescência projetada pelos partidos que são majoritários no legislativo nacional. Precisamos de uma reforma que acabe com o escândalo da não participação dos mais simples, dos mais pobres e dos excluídos dos núcleos decisórios do poder.
  3. Um dos pilares da democracia é o respeito ao diferente, ao divergente. Quando não respeitamos o outro, tentamos sufocar suas posições, ideias e palavras, estamos exercitando a prática do autoritarismo. É preciso lutar por tudo que acreditamos, sem, necessariamente, desrespeitar aqueles que possuem posições contrárias às nossas.

VII. Hoje, de modo generalizado, tudo - ou quase tudo - em relação a Deus é relativizado. Inexiste a sistematização da experiência comunitária, mesmo que tenhamos muitos momentos de convivência com os outros. A opção, mesmo estando juntos, de viver com a ótica do individualismo é prevalente. Sendo assim, nesta realidade, a relação com o divino vive fechada no âmbito do privado, do pessoal, sem nenhuma relação com o próximo.

Que, a partir das reflexões do filósofo Thudo Vazzio, tenhamos condições de estarmos a serviço do outro em nome de um projeto que reflita o Amor de Deus, é o meu desejo.

Professor José Augusto Abreu Aguiar

 

 

 

 

Mais lidas do mês