Mídias Sociais

Artigos

Realidade x pós verdade x disseminação do "fake news"

Publicado

em

 

Em uma época em que as crenças importam mais do que a realidade, a disseminação de notícias falsas ganha terreno, impulsionada pela internet e pela polarização política.

O tema ganha novas dimensões a medida que um dos maiores entraves vivenciado, principalmente, pela população brasileira, se aproxima. Todo ano político a população recebe um grau avançado de aquilo que viemos sentindo na pele, no bolso e no sentimento corrosivo ao longo dos anos - de que somos objetos de proliferação dessa raça corrupta que está a frente dessa política moribunda.

Já viemos nos expondo a um alto grau desse vírus visceral o qual devemos, não apenas nos conscientizar, mas expeli-los dessa prática repugnante que é a corrupção.

As notícias repercutem com muita facilidade e a maioria delas devem ser objeto de análise, pois as notícias falsas vem ganhando força pela internet.

Pelas redes sociais, um boato ou uma mentira podem ser replicados para milhares de pessoas, de forma rápida e em tempo real.

Os eleitores, em sua maioria, não ligam para a veracidade das informações, as chamadas notícias fakes, desde que concordem com elas. Quando as pessoas compartilham apenas informações que confirmam suas crenças, elas se isolam em um ambiente restrito (as bolhas virtuais), sem contato com as pessoas que pensam diferentes delas, por meio do histórico de navegação, o feed de notícias do facebook traz mais informações que combinam com o seu ponto de vista e reforçam suas crenças, reduzindo o alcance de idéias divergentes.

As circunstâncias nas quais os fatos objetivos tem menos influencia em moldar a opinião pública do que apelos à emoção e as crenças pessoais, desenvolveram um quadro de radicalização política ajudando a difundir notícias falsas. Para propalar a sua visão do mundo, muitas pessoas compartilham informações sem se preocupar com a veracidade ou checar a fonte.

É necessário que nos coloquemos em uma posição mais aberta as possibilidades, e saiamos das bolhas virtuais que nos amarram em pensamentos solidificados e polarizam a ideologia como uma seita.

Leandro Aracati

(MBA em Gestão Pública e Pós Graduado em Ciências do Trânsito)


 

Mais lidas do mês