Mídias Sociais

Artigos

Popularização do mercado de capitais no Brasil é caminho sem volta, mas é preciso cuidado!

Publicado

em

 

Por Priscila Sanches
Se o mercado de capitais era, até alguns anos, privilégio apenas de alguns, hoje tem se tornado cada vez mais acessível graças a revolução digital. E essa percepção, revelada numa pesquisa da Comissão de Valores Mobiliários  (CVM), feita em 2020, trouxe um dado animador: a análise das respostas de 5 mil pessoas apontou que 40% começaram a investir nos últimos cinco anos, especialmente no meio digital.
Já é possível observar que uma parcela relevante deste público acessa investimentos mais sofisticados, como criptomoedas, derivativos e, inclusive, investimentos no exterior. E são os meios digitais – como sites de corretoras e aplicativos – os grandes destaques como canais de acesso aos investimentos, indicando um perfil de investidor mais autônomo.
Mas, nem tudo são flores neste percurso. A diferença entre o percentual de investidores do sexo masculino e feminino ainda é gritante no Brasil: de acordo com a pesquisa, 89% são homens e apenas 11% mulheres. Outra questão que chama a atenção é a concentração de investidores nas regiões sudeste (65%) e Sul (16%).
A parte disso, se por um lado milhões de pessoas entraram no mercado financeiro nos últimos anos, muitas delas, no entanto, sem a instrução ou consciência necessários para tanto, por outro apenas cerca de três ou quatro por cento dos novos investidores que operam no mercado lucram realmente. O restante apenas perde dinheiro.
Na prática, cada novo investidor com seus mil reais que entra no mercado, despreparado, é somente mais uma vítima. Os depoimentos que você vê na internet e que atraem milhares e milhares de pessoas, mostrando como alguns se tornaram milionárias no mercado de capitais, são daquela minoria bem preparada ou de enganadores que querem apenas vender mais um curso.
Por isso, sempre repito em minhas palestras e consultorias: o conhecimento precede o lucro!
+ Priscila Sanches é graduada em Gestão Financeira pelo Centro Universitário Moura Lacerda e pós-graduada em Administração, Controladoria e Finanças pela Alpha Channel, além de ser assessora de investimentos e mãe do Lucca.

Mais lidas da semana