Mídias Sociais

Sem categoria

Sana: O paraíso fica bem perto

Avatar

Publicado

em

 

Com várias opções de lazer, boa gastronomia e aventura, o local é um convite irrecusável ao descanso

Bertha Muniz

Imagine passar um fim de semana em um lugar onde a natureza, a paz e a gentileza andam de mãos dadas. Para muitos, seria praticamente uma utopia pensar na união entre esses três adjetivos. Mas este lugar existe e fica bem perto. Nosso destino desta é o Sana, distrito de Macaé, que fica a cerca de 75 quilômetros de distância da Centro da Capital do Petróleo.

Localizado na Serra macaense, entre os municípios de Nova Friburgo, Casimiro de Abreu e Trajano de Moraes, o local é uma perfeita opção para quem aprecia o contato com a natureza e deseja descanso. Todo o distrito é considerado como Área de Proteção Ambiental (APA), dispondo assim de belas cachoeiras e vários outros atrativos turísticos.

Não precisa ser turista para ir ao Sana. O local receber pessoas de várias partes do Brasil interessados em aventura, como as trilhas da pedra do Peito de Pombo, mas é também uma segunda casa dos macaenses, que costumam se refugiar da rotina estressante da cidade que movimenta o petróleo do país. Incrivelmente lindo, o paraíso é sem dúvida, um convite às férias. Sustentado pelo turismo ecológico, o Sana é o lugar ideal para quem almeja tranquilidade e curte estar em contato com a natureza.

Além de toda maravilha incansável do circuito hídrico  conhecido pelas belas cachoeiras, paisagem paradisíacas e rústicas, o distrito serrano preserva a tradição da vida noturna e o reggae dita o som dos barzinhos atraindo turistas durante todo o ano, principalmente no verão. Quem conhecer o Sana vai vislumbrar a Barra do Sana (nascente do Rio Macaé), o Arraial do Sana - onde se localiza maioria das pousadas e comércios, além de ser acesso às principais cachoeiras: Sete Quedas, Mãe, Pai e o Escorrega. O arraial também faz divisa com a famosa Cabeceira do Sana; local que nasce o Rio Sana e "esconde" outras cachoeiras, além do Córrego da Boa Sorte e o Córrego da Glória. Imaginem visitar este paraíso no verão, onde a temperatura gira em torno entre 18°C e 24ºC. No inverno, o clima, mais intimista, varia entre 10ºC à 18ºC.

O Sana oferece uma infraestrutura mediana, com ótimos locais de hospedagem, hotéis e pousadas bem aconchegantes, além de várias áreas de camping (bem familiares), barzinhos e restaurantes com boas iguarias. É claro que não há agência bancária e nem todos estabelecimentos têm máquinas de cartão de crédito. Além disso, nem todas as operadoras de telefonia celular dispõe de sinal com boa qualidade no distrito. Mas, quem está acostumado a lugares como este, com características mais rurais que urbana, já tem ideia de como funciona. E no Sana, claro, não é muito diferente.

 

Pedra do "Peito do Pombo” é um dos pontos turísticos mais cobiçados

Um dos pontos turísticos mais cobiçados pelos visitantes, mas, ao mesmo tempo menos frequentado, é a famosa pedra do "Peito do Pombo". Há 1400 m de altitude, a formação rochosa recebe este nome, justamente por ter o formato da ave. Mas, chegar lá exige pelo menos sete horas de caminhada. Amantes do trekking encaram a trilha tranquilamente por um único motivo: deslumbrar a linda visão litorânea de Macaé, Búzios e Cabo Frio, vista do alto da montanha.

Reza a lenda que a pedra adquiriu este formato pelas provocações climáticas dos raios. O parque dispõe de guias para a chegar à pedra. Durante as caminhadas até as cachoeiras, as paisagens são rupestres, e elas próprias, se encarregam de fazer o turista voltar ao Sana.

Rafiting, trilhas e canoagens são algumas aventuras que o distrito oferece. Além de um cenário irresistivelmente lindo. Para fomentar ainda mais o turismo no Sana, algumas inciativas tem sido criadas, como festivais - produzidos anualmente. Um deles é o "Sana Instrumental", que geralmente acontece em julho. O evento reúne artistas locais, como o próprio "Raiz de Sana", grupo de forró conhecido em todo país, artistas regionais, exposições, concurso de poesias e tributos a artistas consagrados, como Elis Regina.

COMO CHEGAR

Afinal, como chegar a este paraíso? O caminho mais fácil para quem vai de ônibus é ir até Casimiro e lá, pegar uma van até o Arraial do Sana. Até lá, são 26 km. Quem vai de carro pode ir direto até a BR-040. O ponto de referência é o Hotel Patropi, próximo ao Posto de Gasolina, na chegada de Casimiro (na rodovia) entrando a primeira à direita.

Já durante o percurso os turistas sentem a diferença do ar, mais puro ao se aproximar do paraíso das águas. A Serra de Macaé é muito grande e vasta em belezas naturais. A região, além do Sana, tem mais cinco distritos próximos tão belos quanto o ele: Glicério, Frade, Bicuda Grande, Bicuda Pequena. Um local acaba dando acesso a outro. Vale à pena conhecer!

 

 

 

 

Clique Diário

E. L. Mídia Editora Ltda
CNPJ: 09.298.880/0001-07
Redação: Avenida Atlântica, 2.500, sala 22 – Cavaleiros – Macaé/RJ

cliquediario@gmail.com
(22) 2765-7353

Mais lidas da semana