Mídias Sociais

Destaque

Rio de Janeiro é o primeiro estado do país a adotar as placas do Mercosul

Bertha Muniz

Publicado

em

 

Novo modelo estará disponível a partir desta terça-feira (11). Nova placa vai dar maior segurança evitando a possibilidade de clonagem, segundo o Detran.

Depois de idas e vindas, a nova placa para os países do Mercosul finalmente começará a ser usada no Brasil. Um comunicado do Detran do Rio de Janeiro confirmou a estreia do sistema a partir desta terça-feira (11).

O Estado fluminense será o primeiro a usar as novas placas no país, de acordo com as resoluções 729 e 733 do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Segundo o órgão, elas terão o mesmo custo da placa atual (R$ 219,35).

A troca não será obrigatória para todos os veículos. De acordo com o Detran, quem quiser trocar a placa voluntariamente ou realizar operações que envolverem novas placas já receberão o modelo Mercosul. As operações são: emplacamento de carros zero quilômetro, transferências de propriedade, de jurisdição e de município, além de alteração de categoria e troca de placas danificadas.

Segundo o órgão, a nova placa vai dar maior segurança para os proprietários de veículos, evitando a possibilidade de clonagem. O modelo Mercosul terá código único e conterá todos os dados de confecção da placa, como o número de série e identificação de seu fornecedor, além da data de fabricação. Inclui também o modelo do veículo, permitindo a rastreabilidade dela.

A autoridade policial identifica instantaneamente onde a placa foi confeccionada e a qual veículo pertence. Por consequência, se as características não coincidirem, será possível saber se o veículo é clonado ou não. O valor de fabricação da placa é o mesmo do modelo antigo (R$ 219,35).

Já a rastreabilidade do veículo será possível por meio de um aplicativo que o Denatran vai disponibilizar gratuitamente para as polícias até o fim de setembro. O novo aplicativo vai conferir ainda mais segurança aos usuários e vai estar acessível nas plataformas IOS e Android.

“A placa Mercosul não é uma simples placa, mas um novo conceito que vai dar uma enorme contribuição para a segurança pública do estado. É uma conquista. Terá benefícios anticlonagem e vários itens de segurança. Além disso, terá o mesmo preço da antiga”, destaca Leonardo Jacob, presidente do Detran.

O que muda

A principal mudança da nova placa está no padrão visual, que será sempre com fundo branco e uma faixa azul na parte superior. O que vai definir a categoria do veículo será as cores das letras e números (veja mais acima).

A sequência também foi alterada. O sistema atual, com três letras e quatro números (AAA-0000) dará lugar a um com quatro letras e três números (AAA0A00).

A plaqueta que identifica o estado e o município de registro também será aposentada. Em seu lugar haverá somente a inscrição “Brasil”.

Dois brasões irão identificar o município e o estado do automóvel, com o nome da cidade escrito em uma fonte menor sob o logotipo.

As novas placas terão mais mecanismos de proteção, com itens de segurança similares ao usados em cédulas. Um QR Code e um chip permitirão a rastreabilidade da placa por todos os países do Mercosul e dificultará a clonagem.


 

Mais lidas do mês