Mídias Sociais

Destaque

Agentes da Guarda Municipal de Macaé recebem honrarias por atuação na catástrofe de Nova Friburgo

Bertha Muniz

Publicado

em

 

A entrega do mérito municipal aos 51 agentes ocorreu na noite desta quarta-feira (25), na Câmara Municipal.

Agentes da Guarda Municipal de Macaé receberam honrarias pela atuação voluntária nas ações no município de Nova Friburgo na catástrofe de 2011, onde atuaram em áreas remotas no resgate de desaparecidos, famílias, localização de corpos, distribuição de alimentos, água e roupas.

A entrega do mérito municipal aos 51 agentes ocorreu na noite desta quarta-feira (25), na Câmara Municipal, e foi feita pelo Secretário de Ordem Pública, Daniel Bandeira; Comandante da Guarda Ambiental, Madson Nazareno; Comandante da Guarda Municipal, Adriana Manilha; o vice-presidente do Conselho de Segurança José Silva e o coordenador do Gabinete de Gestão Integrada, Patrick Moraes.

“Foi muito gratificante ter participado dessa mobilização de ajuda humanitária que a nossa Guarda Municipal e Guarda Ambiental de Macaé se dispôs a realizar a época para somarmos forças às outras instituições na realização das mais variadas atividades naquela catástrofe, foi um trabalho muito exaustivo, atuamos em áreas remotas na realização do resgate das vítimas, na distribuição de alimentos, água, roupas para diversas famílias, na colaboração para a manutenção da ordem pública”, disse Arnaldo Fonseca, subcoordenador da Guarda Ambiental, acrescentando que o cenário que encontrado era de total destruição e tristeza daqueles munícipes.

“Poder ter colaborado para amenizar o sofrimento daquelas famílias, foi uma experiência de vida muito gratificante para mim e tenho certeza que também foi para todos os meus colegas que hoje junto comigo são homenageados”, detalhou Arnaldo.

O comandante da Guarda Ambiental, Madson Nazareno, enalteceu cada profissional que esteve naquele fatídico evento ocorrido no município de Nova Friburgo.

“Todos se mobilizaram de maneira voluntária, abdicaram de seus momentos de folga, de estar em companhia de seus familiares, lazer e descanso para atuarem em uma causa tão nobre, para ajudar aquelas famílias que naquele momento estavam passando pelo momento mais trágico de suas vidas. Foi uma grande experiência para nossas vidas, não só no aspecto profissional, mas nosso lado pessoal. Atuar naquela catástrofe nos exigiu muito do nosso condicionamento físico e também psicológico”, explicou Madson.

 

A comandante da Guarda Municipal, Adriana Manilha, lembra que no dia da catástrofe homens e mulheres de maneira totalmente espontânea e voluntária se mobilizaram para estarem levando esperança aquela população em um momento tão doloroso. “Parabenizo a todos que lá estiveram, pela justa e merecida homenagem e agradeço por todo apoio que tenho recebido”, finaliza.

Mais lidas da semana