Mídias Sociais

Política

Procuradoria Geral da República pede a prisão do senador e ex-candidato à presidência, Aécio Neves

Publicado

em

 

Ministro do STF, Edson Fachin, porém, nega pedido da PGR e autoriza apenas o afastamento do senador

 

 

 

Tunan Teixeira

 

O ex-candidato à presidência, Aécio Neves (PSDB), derrotado nas urnas pela ex-presidente, Dilma Rousseff (PT), em outubro de 2014, foi afastado do Senado nesta quinta-feira, 18, após ter seu nome envolvido em delação premiada ligada à Operação Lava Jato.

A decisão foi do Ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), que negou o pedido de prisão do senador feito pelo Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, depois das denúncias de que Aécio teria pedido 2 milhões de reais aos donos do maior frigorífico do país para custear sua defesa na Lava Jato.

Além de Aécio Neves, o presidente Michel Temer (PMDB), o senador Zezé Perrella (PSDB-MG) e o deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) também foram citados na delação dos donos da JBS, responsável pela Friboi e pela Sadia, entre outras, à Procuradoria Geral da República (PGR), conforme noticiado pelo colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, e confirmado pela Agência Reuters, uma das mais importantes agências de notícias do mundo.

Desde a manhã desta quinta-feira, a Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão em imóveis do senador no Rio de Janeiro, em Minas Gerais e no Congresso, depois que Aécio, que é o presidente nacional do PSDB, foi gravado pedindo dinheiro ao empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS.

Imagens exibidas pela Globonews nesta quinta de manhã mostraram agentes da PF entrando em um prédio de frente para a praia de Ipanema onde Aécio tem um apartamento. O local estava vazio e a polícia precisou da ajuda de um chaveiro para ingressar, segundo a emissora.

Se o senador teve seu pedido de prisão negado pelo STF, a mesma sorte não teve a irmã e assessora de Aécio, Andrea Neves, que foi presa por agentes da Polícia Federal (PF) e do Ministério Público Federal (MPF) ainda na manhã desta quinta-feira, em um condomínio na Região Metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais.

Foram presos ainda Frederico Pacheco de Medeiros, primo do senador e de Andrea; Mendherson Souza Lima, assessor do senador Zezé Perrella, todos citados nas delações do donos da JBS, segundo reportagem de O Globo.

A irmã de Aécio é considerada a operadora do senador nas investigações da Lava Jato, e foi presa por suspeitas de que ela tenha pedido dinheiro ao empresário Joesley Batista, dono do grupo JBS, em nome do irmão.

Ainda de acordo com o site G1, Andrea passou a manhã na sede da PF, de onde seria encaminhada para o Instituto Médico Legal (IML) para ser submetida a um exame de corpo de delito, e depois, seria levada para o Complexo Penitenciário Feminino Estevão Pinto, em Belo Horizonte.

 

Mais lidas da semana