Mídias Sociais

Política

Preso por peculato em 2016, ex-presidente da Câmara de Casimiro é condenado agora por compra de votos

Publicado

em

 

Ex-presidente da Câmara de Casimiro de Abreu, Alessandro Pezão (PRP) foi condenado a 1 ano e 3 meses de detenção por compra de votos nas eleições municipais de 2016

Estopim de investigações por corrupção em Macaé, que levaram à prisão do vereador Neto Macaé (PTC) e o afastamento do também vereador Zé Prestes (PPS), o ex-presidente da Câmara Municipal de Casimiro de Abreu, Alessandro Pezão (PRP) foi condenado por compra de votos.

Pezão foi preso em 2016 acusado de apropriação indevida de parte dos salários de 5 servidores comissionados na Câmara, mesmo crime em que estariam supostamente envolvidos os 2 vereadores macaenses.

Dessa vez o ex-presidente do Legislativo de Casimiro foi condenado a 1 ano e 3 meses de detenção depois de ser denunciado por oferecer materiais de construção e pagar custos de carteira de habilitação e contas de água, tudo isso em troca de votos durante a campanha das eleições municipais de 2016.

Investigado desde julho daquele ano, o ex-vereador acabou com a vida mais complicada em setembro, quando o Ministério Público do Estado do Rio (MP-RJ) encontrou, resultado de busca e apreensão, orçamentos para compra de materiais de construção, carteiras nacionais de habilitação de eleitores, assim como boletos de contas de água, algumas pagas e outras não.

Juntamente com Pezão, foi condenado o cabo eleitoral do ex-presidente da Câmara casimirense, José Roberto Mendes dos Santos. Agora, Pezão terá que prestar serviços a uma instituição durante uma hora por dia de pena, enquanto o cabo eleitoral precisará doar cestas básicas até o valor total de 5 salários mínimos.


 

Mais lidas do mês