Mídias Sociais

Destaque

Presidência da Câmara Municipal de Macaé anuncia saída da bancada do governo

Publicado

em

 

Dr. Eduardo e George Jardim confirmam posicionamento de votação de segunda-feira e se disseram fora da bancada

 

Tunan Teixeira

 

Parece que o anúncio feito na segunda-feira, 24, do nome do vereador Dr. Márcio Bittencourt (PMDB) como escolhido pelo Prefeito Dr. Aluizio (PMDB) para ser seu novo líder da bancada do governo na Câmara Municipal de Macaé, não caiu nada bem na Mesa Diretora.

Nesta terça-feira, 25, o Presidente da Câmara, Dr. Eduardo Cardoso (PPS), seu segundo vice, Julinho do Aeroporto (PMDB), e o terceiro, George Jardim (PMDB), anunciaram que estão fora da bancada governista, aumentando para 6 o número de independentes no atual mandato.

Apesar de os três experientes parlamentares terem alegado motivos distintos, o principal tema dos discursos foi a divisão de cargos no governo, com cada vereador abordando o assunto de maneira diferente.

O clima entre os vereadores aliados do governo já tinha esquentado na sessão extraordinária desta segunda, quando, durante votação de um requerimento do líder da oposição, Marcel Silvano (PT), os três se manifestaram contrários ao pedido do líder do governo de rejeitarem o requerimento, que, mesmo assim, acabou derrubado por 10 votos a 6.

Nesta terça, os 3 experientes parlamentares, tidos no início do ano como homens fortes do governo na Câmara, justificaram suas saídas da bancada, cada um ao seu modo, sendo Dr. Eduardo e George os mais diretos, ao declararem que não seriam liderados pelo ex-diretor do Hospital Público Municipal (HPM).

“Eu nunca fui palaciano. Não sou freqüentador de gabinete, nunca fui. Estou voltando para onde comecei. Comecei na oposição. Fui oposição em quase todos os governos. Comecei como oposição ao Prefeito Carlos Emir (PDT), e só fui ser governo com Riverton (Mussi, PDT), e depois com o Prefeito Aluizio. Dizem que é assim mesmo, na política você começa como incendiário e termina como bombeiro. Eu vou voltar aquele tempo mesmo, vou voltar a ser incendiário”, disparou Dr. Eduardo.

Dizendo que não prejudicará o prefeito, Dr. Eduardo afirmou que pretende se manter independente, mas não perdeu a oportunidade de alfinetar a nova liderança do governo ao declarar que poderia se unir com quem quisesse sua presença, já que, segundo ele, teria sido excluído da bancada.

Aumentando o coro de que também não seria liderado por Dr. Márcio, o vereador George Jardim criticou a falta de ações da prefeitura na região serrana, e aproveitou para se defender das acusações de que teria cargos no governo, repetindo que seu irmão, Joaquim Jardim, que é Secretário de Agroeconomia, não apenas não foi indicado por ele, como também não o representa, devido às poucas ações tomadas em favor dos pequenos produtores do município.

“Manda projeto para cá para ajudar a população que eu voto a favor. Mas se mandar projeto que vai prejudicar a população, como esse da extinção da Fundação Macaé de Cultura (FMC), eu vou votar contra”, anunciou George, sobre o Projeto de Lei Complementar 004, de 2017 (PLC004/17), do Executivo, que deu entrada na Câmara no dia anterior.

Outro que também se posicionou após ter votado contra o governo na segunda-feira foi o ex-líder da bancada governista, Julinho do Aeroporto, que preferiu um discurso mais ameno em relação ao seu substituto, que ele próprio apontara com uma boa escolha.

Sem confirmar que estaria fora da bancada, Julinho preferiu negar as especulações de que estaria votando com a intenção de pressionar o governo por cargos, dizendo novamente que nunca teve parente nomeado em nenhum governo, assim como não teve empresa prestando serviço para a prefeitura durante seus mandatos como vereador.

“Eu nunca quis cargos. Se eu quisesse, ia lá no gabinete do prefeito pedir. Nunca tive parente nomeado na prefeitura, em governo nenhum. Não tenho nem nunca tive empresa que prestasse serviço para o governo. Nem uma Kombi alugada pelo governo eu tive. E não quero ter. Vou continuar fazendo meu trabalho pelas comunidades, pela periferia, que é quem mais precisa”, afirmou Julinho.

Foto: Igor Faria

Mais lidas da semana