Mídias Sociais

Política

Ex-petista, Prefeita de Quissamã pode estar perto de trocar o PODE pelo DEM

Avatar

Publicado

em

 

Eleita em 2016 quando o partido ainda se chamava PTN, a Prefeita de Quissamã, Fátima Pacheco (PODE), confirmou, durante um evento do jornal Folha da Manhã, em Campos dos Goytacazes, que está próxima de uma filiação ao DEM, do presidente da Câmara Federal, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ).

A declaração ao jornal campista teria sido dada no último domingo, 26 de maio, reafirmando o que havia dito no dia 14 de janeiro, quando revelou ter recebido convite do próprio Rodrigo Maia para se filiar ao DEM, mas que ainda não havia batido o martelo na ocasião.

“Em breve devemos anunciar a filiação ao DEM. Está bem encaminhada. Além de presidente da Câmara, Rodrigo Maia é uma referência política para todos nós e tem ajudado bastante ao município”, disse Fátima ao site Folha1.

Questionada pelo jornal em janeiro sobre uma possível ida para um partido mais conservador, Fátima, que antes do PODE, já foi filiada ao PT, afirmou que isso não mudaria o seu trabalho.

“Sempre tive o perfil de preocupação com Quissamã, pelo bem coletivo, o trabalho integrado e isso vai continuar. Algo assim sobre ideologia não vai mudar o caráter e o trabalho que está sendo feito”, disse a prefeita.

Além de Fátima, o evento recebeu a presença do presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj), André Ceciliano (PT), os deputados estaduais, Gil Vianna (PSL), Rodrigo Bacellar (SOLIDARIEDADE) e João Peixoto (DC), e os prefeitos de Campos, Rafael Diniz (PPS), e de São João da Barra, Carla Machado (PP), além de outras autoridades políticas da região.

Polêmicas regionais – Se o caminho de Fátima do PT ao DEM poderia suscitar polêmica, em São João da Barra, o vereador Gersinho Crispim (SOLIDARIEDADE) fez um requerimento verbal, em sessão da Câmara Municipal na última terça-feira, 28, que deixou a política municipal fervendo.

O parlamentar, que faz parte da bancada governista, relatou que recebeu duas denúncias sobre o programa de transferência de renda Cartão Cidadão, em que, segundo ele, comerciantes estariam vendendo bebidas alcoólicas e cigarros com o recursos do projeto social, o que é proibido pela lei que o instituiu.

Segundo informações publicadas pelo Folha1, Gersinho teria dito ainda que alguns comerciantes estariam passando o cartão e devolvendo ao beneficiário o dinheiro vivo, ficando com um percentual, o que também é proibido.

Em nota publicada no site Folha1, a prefeitura informou que vai apurar as denúncias, tomará as medidas cabíveis, como descredenciamento do comércio, caso comprovado, e que criará uma comissão para fiscalizar o programa, atendendo ao parlamentar, que cobrou uma fiscalização mais rígida por parte da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos.

“Acho que tem que ter punição para esses comerciantes. Estão abrindo precedentes para vender qualquer tipo de mercadoria e o projeto não é esse. O projeto é para alimentação. A secretaria [de Assistência Social] tem que tomar providências. Já recebi denúncia de que tem comerciante que está trocando, tirando uma porcentagem e dando o dinheiro ao beneficiário. Isso não existe”, disparou Gersinho, segundo o site do jornal campista.

Da bancada de oposição e pré-candidato a prefeito do município, o vereador Frank Areas (PR) também falou sobre um possível uso eleitoral do programa, revelando que algumas pessoas estariam pedindo para ex-beneficiários levarem o cartão antigo com a promessa de que poderiam ganhar o novo Cartão Cidadão, em uma espécie de cadastro paralelo ao trabalho desenvolvido pela prefeitura.

“É uma covardia muito grande com quem precisa. Todos os dias aparecem pessoas pedindo sacolão, pedindo uma ajuda”, questionou Frank.

Na semana passada, em seu perfil no Facebook, Gersinho já havia denunciado, também, “que estariam agindo de má fé realizando cadastramento em comércio no 5° distrito”, aproveitando para alertar à população que o caminho correto para quem se enquadra no perfil de beneficiário é procurar um Centro de Referência da Assistência Social (CRAS).

A prefeitura explicou ao jornal campista que denúncias sobre irregularidades envolvendo o Cartão Cidadão podem ser apresentadas para a Ouvidoria do município, e com relação à denúncia do vereador, disse que ele “faz parte da base do governo e está cumprindo o seu papel de legislador”.

“Se houver qualquer irregularidade sendo praticada pelo comerciante, o município exigirá da empresa que ganhou o certame para administrar o Cartão Cidadão e Alimentação, o descredenciamento do comércio”, diz a nota do governo municipal.

Além disso, a prefeitura também reforçou que todos os beneficiários recebem a visita domiciliar dos técnicos e a família tem que estar inserida no CAD Único, destacando que “para que não paire nenhuma dúvida a respeito na distribuição desse benefício, o município estará criando uma comissão com o objetivo de fiscalizar o programa. Solicitará para a sua composição a indicação do Ministério Público [do Estado, MPRJ], da Câmara, dos conselhos municipais e da sociedade civil organizada para acompanhar e nos ajudar na fiscalização”.

Mais lidas do mês