Mídias Sociais

Política

Deputados federais de Campos e Macaé trabalham no Congresso para criar fundo para o Norte e Noroeste Fluminense

Avatar

Publicado

em

 

De família com forte base eleitoral em Campos dos Goytacazes, a deputada federal Clarissa Garotinho (PROS-RJ) foi eleita, na última quarta-feira, 11, a presidente da Comissão Especial que vai analisar o Projeto de Lei 1.440, de 2019, que cria o Fundo de Desenvolvimento Econômico da Região do Norte e Noroeste Fluminense.

De autoria de seu irmão, o deputado federal Wladimir Garotinho (PSD-RJ), o projeto classifica os municípios da região como áreas de semiárido, possibilitando, assim, importantes mecanismos de crédito com juros mais baixos para o desenvolvimento de atividades produtivas locais.

Segundo a assessoria da deputada, ainda existe a possibilidade de aporte no Fundo de recursos dos governos, federal, estadual, e municipais. Entre os municípios beneficiados do Norte Fluminense estariam Campos, São João da Barra, Carapebus, Conceição de Macabu, Macaé e Quissamã, entre outros.

“Mesmo não estando fisicamente na região do semiárido brasileiro, essas localidades possuem características climáticas semelhantes à do semiárido, com índices pluviométricos baixíssimos, gerando entraves inalteráveis para a produção agropecuária. O projeto é importante para criar mecanismos de crédito para esses municípios”, disse Clarissa Garotinho.

A deputada federal exemplificou a necessidade da medida com a lembrança da estiagem de 2017, que gerou perdas consideráveis para o Norte e Noroeste do Estado, com a perda de 20 mil cabeças de gado e a 70 milhões de reais em prejuízo, além de prejuízos também no abastecimento de água, fazendo com que 14 municípios da região decretassem situação de emergência na época.

Ainda de acordo com a assessoria da deputada, a comissão foi instalada no último dia 30 de novembro e tem previstas 40 sessões. Caso seja aprovado, sem recurso para votação no plenário da Câmara Federal, onde terá como relator o deputado federal Felício Laterça (PSL-RJ), o projeto vai direito para o Senado.

Mais lidas da semana