Mídias Sociais

Política

CPI da Saúde pode ser o fim da reeleição de Miguel Jeovani

Avatar

Publicado

em

 

 

Em véspera de eleição, é comum a lentidão nas atividades legislativas nos municípios, com os vereadores preocupados com a reeleição de seus mandatos e a eleição do prefeito. Mas a Câmara de Vereadores de Araruama pode fazer diferente ao decidir se abre ou não na próxima sessão da Câmara uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para apurar a situação da saúde no município após a denúncia de fraudes fiscais na saúde. Na última quarta-feira (21) o vereador interino Deco Bernardes denunciou o prefeito Miguel Jeovani na Comarca de Araruama. Na denúncia, o prefeito teria desviado o dinheiro destinado à saúde do município no valor de R$ 2.200.000,00 (dois milhões e duzentos mil reais) e destinado à quantia para pagamento de funcionários. Esta verba, segundo o vereador, teria vindo por meio de uma emenda parlamentar do Senado federal, destinada ao Município de Araruama para que fossem adquiridos equipamentos para instalação do Futuro Hospital da Criança e da Mulher.

 

"O prefeito ou a prefeitura, utilizou o valor total da VERBA LIBERADA para pagamento de despesas sem nenhum vinculo com a EMENDA PARLAMENTAR que a destinou. Há quem diga que esse dinheiro tenha sido utilizado especificamente para pagamento de folha de pessoal, na tentativa de tapar um rombo existente nos sucessivos atrasos nos pagamentos dos servidores e aposentados do município As movimentações financeiras de crédito e transferência eletrônica de débito comprovam essa manobra que merece ser investigada a fundo, tendo em vista a gravidade do assunto e a falta de compromisso demonstrado pelo Prefeito de investir na saúde pública municipal”, afirmou o vereador autor da denúncia.

 

CPI em reta final de eleição pode sepultar chances de reeleição.

 

Miguel Jeovani, que teve o registro de candidatura indeferido pela Justiça Eleitoral é réu atualmente em 4 processos por fraudes, dano ao erário, abuso de poder, atos administrativos e improbidade administrativa, terá grande trabalho para articular a base do governo em plena eleição na câmara para frear a CPI e lutar contra o desgaste da imagem do seu governo junto a população. A campanha do PMDB sabe que a rejeição em níveis altíssimos e caos na saúde somados a CPI pode servir como resposta da Câmara quanto a má gestão e sepultar de vez as chances de Miguel Jeovani conseguir a reeleição junto ao eleitorado.

Mais lidas da semana