Mídias Sociais

Política

Bloco do Aeroporto de Macaé é arrematado pela Zurich Airport por 437 milhões de reais em leilão em São Paulo

Avatar

Publicado

em

 

Da esquerda para direita, o Ministro da Secretaria de Governo, general Santos Cruz; o vice-governador do Rio, Claudio Castro (PSC); o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas; o Prefeito de Macaé, Dr. Aluízio (sem partido), e o deputado federal Felício Laterça (PSL-RJ), durante leilão em São Paulo

Foi encerrado pouco antes do meio dia desta sexta-feira, 15, o leilão dos blocos de aeroportos, realizado em São Paulo pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), com a venda de todos os 3 blocos contemplando 12 aeroportos, com uma arrecadação total de 2,377 bilhões de reais.

O montante superou as expectativas do governo federal, que era de 2,185 bilhões de reais, com muita disputa até o final, principalmente pelos blocos Nordeste e Centro Oeste, que obtiveram ágio superior a 1.000% em relação aos lances mínimos definidos pela ANAC.

Com novo terminal de passageiros e nova pista de pouso e decolagem, o Bloco Sudeste, que tinha os aeroportos de Macaé, e de Vitória, capital do Espírito Santo, também chamado de Bloco do Petróleo e Gás, teve ágio de 830,15%, sendo arrematado pela Zurich Airport no valor de 437 milhões de reais.

O valor superou em muito o lance mínimo que era de 46,9 milhões de reais, o mesmo tendo acontecido com todos os outros 2 blocos leiloados nesta sexta-feira, na capital paulista, embora o ágio destes tenha superado o ágio do Bloco Sudeste.

Para o Prefeito de Macaé, Dr. Aluízio (sem partido), que acompanhou o leilão em São Paulo, a entrada da Zurich Airport Latin America, que já atua no país como concessionária dos aeroportos de Confins, na capital mineira, e de Florianópolis, em Santa Catarina, reforça a importância do município para o mercado internacional.

“A entrada de um grupo desse porte mostra como Macaé continua atrativa e renova a nossa capacidade de receber investimentos. A expectativa é de um novo ciclo de crescimento nos próximos anos”, analisou o prefeito.

Também presente ao leilão, conforme havia dito na entrega das obras do Aeroporto de Macaé, na última terça-feira, 12, o deputado federal Felício Laterça (PSL-RJ), reforçou a importância de ações de infraestrutura no município para o alto valor oferecido pelo bloco.

“O valor proposto pelo bloco, quase 6 vezes maior que o lance mínimo, é a prova de que Macaé tem tudo pronto para viver essa nova fase de crescimento da indústria do petróleo”, lembrou o deputado.

Outros blocos – Mais valioso dos blocos, o Nordeste foi o que teve maior disputa, principalmente nos minutos finais do leilão a viva-voz, entre a BTG Pactual, a Zurich Airport e a vencedora Aena Desarrollo Internacional, que arrematou o bloco dos aeroportos de Recife, em Pernambuco; Maceió, em Alagoas; Aracaju, em Sergipe; Juazeiro do Norte, no Ceará; e João Pessoa e Campina Grande, na Paraíba, por 1,9 bilhões de reais, obtendo ágio de 1.010,69% em relação ao lance mínimo de 171 milhões de reais.

A valorização do bloco se dá principalmente ao potencial turístico da região Nordeste e ao alto número de aeroportos em capitais da região mundialmente reconhecida pela beleza do seu vasto litoral.

Curiosamente, o Bloco Centro Oeste, dos aeroportos de Cuiabá, Sinop, Rondonópolis e Alta Floresta, todos no Mato Grosso, que entrou no leilão com o menor lance mínimo, de 800 mil reais, acabou com o ágio mais alto, de 4.739%.

O bloco que atenderá principalmente ao agronegócio nacional foi arremato nos segundos finais do leilão por uma proposta de 40 milhões de reais pelo Consórcio Aeroeste, formado por Socicam Terminais Rodoviários (85%) e Sinart Sociedade Nacional de Apoio Rodoviário e Turístico (15%).

Mais lidas da semana